Publicado em

O celular ultrapassou o internet banking no pagamento de contas e transferências eletrônicas - como TEDs e DOCs - no ano passado pela primeira vez na história do setor bancário brasileiro. A constatação é da 27ª edição da Pesquisa Febraban de Tecnologia Bancária 2019, feita em parceria com a Deloitte, anunciada nesta terça-feira, 7. O celular viabilizou, assim, 2,5 bilhões de pagamentos de contas e transferências no ano passado.

Quando considerados os canais digitais, o número de transações bancárias com movimentação financeira cresceu 33% nos canais digitais. Só no celular, o avanço foi de 80%.

De cada dez transações bancárias realizadas no Brasil, seis acontecem no internet banking e no celular.

"Esses números demonstram o investimento dos bancos na solução, de trazer melhor usabilidade e também a maior confiança do cliente no uso dos canais digitais", explicou Gustavo Fosse, diretor setorial de tecnologia e automação bancária da Febraban, em coletiva de imprensa, no período da manhã desta terça.

Segundo ele, pela primeira vez, as transações com movimentação financeira pelas maquininhas - POS, na sigla em inglês - superam as operações feitas presencialmente e seguem com a tendência mundial do uso de canais eletrônicos.

Já os investimentos com tecnologia bancária somaram R$ 19,6 bilhões em 2018. O destaque, conforme Fosse, para o orçamento de software que totalizou R$ 10,1 bilhões.

As novas tecnologias que despertam maior interesse para os bancos e seus investimentos continuam sendo big data e inteligência artificial/computação cognitiva.

A pesquisa Febraban contou com a participação de 20 bancos, que somados representaram 91% dos ativos bancários do País.