Publicado em

A demora na tramitação da reforma da Previdência pode atrasar o retorno das ofertas iniciais de ações (IPOs, na sigla em inglês) no Brasil, disse ontem o diretor-executivo de tesouraria e mercados globais do Itaú BBA, Christian Egan.

Egan, contudo, disse que "talvez haja espaço" para operações de "follow-on" (ofertas subsequentes de companhias listadas) por parte de empresas que tenham níveis de avaliação mas altos. "É caso a caso. Os IPOs se destravam muito mais rápido (com a reforma aprovada). Tem um pipeline grande e saudável", disse.

Enquanto as operações na renda variável são mais sensíveis ao cenário das reformas, Egan afirmou na renda fixa o cenário tem sido mais positivo. "É um momento especial para a renda fixa. E vemos potencial não apenas para este ano, mas para os próximos", disse. /Reuters