Publicado em

Com mais opositores que governistas inscritos para discutir o relatório do deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) na Comissão Especial da Reforma da Previdência, os parlamentares contrários à reforma dominaram a décima hora do primeiro dia de debates no colegiado.

Falaram em sequência contra o projeto os deputados Henrique Fontana (PT-RS), Tadeu Alencar (PSB-PE) e José Ricardo (PT-AM).

Também contrária à reforma, a deputada Lídice da Mata (PSB-BA) considerou que a retirada da capitalização da reforma é o principal acerto do relator que, segundo ela, sabia que essa proposta não teria votos para ser aprovada.

"Aqueles que não têm como poupar seriam obrigados a economizar por um rendimento muito inferior ao que os bancos têm. Em todos os países onde a capitalização foi implantada, os segurados chegaram à velhice em estado de miserabilidade", criticou.

Coube ao deputado Diego Garcia (Pode-PR) defender a reforma nesse bloco. "É uma reforma complexa e difícil, mas o relator acolheu pedidos de inúmeros parlamentares, dando condições para a aprovação do texto", afirmou.

Em dez horas de sessão, 54 parlamentares já fizeram o uso da palavra. A lista de inscritos conta com 155 deputados, sendo 64 para falar a favor da reforma e 91 para falar contra a medida. Além disso, os cerca de 30 líderes partidários também têm direito a fala. A expectativa é de que o debate se arraste por diversas sessões.