Publicado em

SÃO PAULO - O dólar fechou quase estável ante o real nesta terça-feira, acompanhando o exterior, após o chair do Federal Reserve, Jerome Powell, reafirmar a política paciente do banco central norte-americano em relação a aumentos de juros.

O dólar teve acréscimo de 0,1 por cento, a 3,7448 reais na venda, após oscilar entre 3,7394 reais e 3,7675 reais.

O dólar futuro recuava 0,19 por cento.

Em declarações preparadas, Powell disse que crescentes riscos e dados fracos recentes não devem impedir o crescimento sólido da economia dos EUA neste ano, mas que o Fed seguirá "paciente" ao decidir sobre novos aumentos de juros. [L1N20L0VP]

Na avaliação do superintendente de câmbio da Correparti Corretora, Ricardo Gomes da Silva Filho, as sinalizações de Powell favoreceram um ambiente de maior procura por risco, o que levou outras moedas a se firmarem em relação ao dólar.

Na agenda interna, a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado aprovou o nome de Roberto Campos Neto para comandar o BC, em sabatina que não trouxe grandes surpresas. A indicação do economista agora passará pelo plenário do Senado.

Campos Neto indicou que deve manter o norte na condução da política monetária ao pontuar que cautela, serenidade e perseverança são valores que devem ser preservados. [L1N20L0OA]

"Em tese, no curtíssimo prazo, a gente deve ter uma continuidade da politica monetária. Não estamos vendo nenhuma ruptura entre uma gestão e outra", disse o estrategista de renda fixa da Coinvalores Corretora, Paulo Celso Nepumoceno.

Às 18h, o presidente Jair Bolsonaro se reúne com lideranças partidárias da Câmara no Palácio da Alvorada, quando devem ser feitas trativas ligadas à reforma da Previdência.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) disse que o governo precisa melhorar sua articulação, agregando partidos na base, e decidir se irá governar com o Parlamento.

Na véspera, Maia indicou que a instalação da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), primeira etapa da reforma, deve ficar para depois do Carnaval.

O BC vendeu 10,33 mil swaps cambiais tradicionais, que equivalem à venda futura de dólares. Assim, rolou 9,297 bilhões de dólares dos 9,811 bilhões que vencem em março.

O BC também já anunciou que fará leilão de linha -- venda com compromisso de recompra -- na quarta-feira, com oferta de 3 bilhões de dólares, para rolagem parcial de um total de 6,05 bilhões com vencimento em março.

 

(Por Laís Martins)