Publicado em

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar rondava estabilidade contra o real nesta terça-feira, depois de oscilar entre perdas e ganhos, em dia marcado por ajustes, com investidores continuando a monitorar a cena externa e os desdobramentos das relações comerciais entre Estados Unidos e China.

Às 11:59, o dólar avançava 0,04%, a 4,1725 reais na venda.

Na véspera, o dólar à vista teve alta de 0,42%, a 4,1709 reais na venda. Neste pregão, o dólar futuro subia 0,29%, a 4,1770 reais.

Para Igor Ghellardi Cruvinel, sócio-diretor de investimentos da Doc Concierge, o dia mostra alguns ajustes de posições na esteira das valorizações que a moeda norte-americana apresentou no acumulado das últimas sessões.

No entanto, "o discurso do Bolsonaro na ONU, que adotou uma postura bem patriótica criticando a mídia e os países europeus sobre a Amazônia, adicionou um pouco mais de pressão a um mercado que já está sensível".

O dólar chegou a tocar uma máxima de 4,1848 reais durante o discurso do presidente, antes de mudar de direção.

"Estamos à deriva do mercado externo, mas qualquer fator de pressão interno, por mínimo que seja, acaba afetando o desempenho do real", afirmou Cruvinel.

Segundo operadores, baixa taxa de juros no Brasil tem colaborado para uma fuga de capital estrangeiro, especialmente de fundos especulativos, em busca de melhor remuneração em outros mercados.

Na semana passada, o BC cortou a taxa básica de juros em 0,50 ponto percentual, a 5,50% ao ano, dando sequência ao ciclo de queda de juros, processo que indicou que deve seguir adiante diante da débil recuperação econômica.

Nesta sessão, o BC vendeu todos os 580 milhões de dólares ofertados em moeda física e negociou ainda todos os 11.600 contratos de swap cambial reverso ofertados --nos quais assume posição comprada em dólar. Adicionalmente, a autarquia vendeu também 1,8 bilhão de dólares em leilão de rolagem de linha de dólar.

As negociações comerciais entre EUA e China continuam em foco, com o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, dizendo na segunda-feira que ele e o representante do Comércio norte-americano, Robert Lighthizer, vão se encontrar com o vice-premiê chinês, Liu He, em duas semanas para dar continuidade às conversas.

Em seu discurso na Assembleia geral das Nações Unidas, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse que espera que os dois países consigam chegar a um acordo que seja bom para ambos.

O índice do dólar, que mede a moeda norte-americana contra uma cesta de outras moedas, tinha variação negativa de 0,08%, a 98,517.

 

 

(Por Stéfani Inouye)