Publicado em

O dólar registrava leves oscilações ante o real nesta terça-feira, monitorando o comportamento externo da divisa norte-americana na expectativa pela votação do Brexit no Parlamento do Reino Unido e após dados mais fracos do que o esperado dos preços ao produtor nos Estados Unidos.

Às 11:59, o dólar avançava 0,07 por cento, a 3,7016 reais na venda, depois de terminar a sessão anterior em queda de 0,41 por cento, a 3,6991 reais. O dólar futuro rondava a estabilidade.

"Hoje o foco total estará na votação do Brexit pelo Parlamento britânico, com grande possibilidade de ser rejeitado", disse a corretora ModalMais.

"(Uma rejeição) obrigaria o governo a mostrar um plano B dentro de três sessões. O que poderia provocar novo plebiscito e ainda um voto de desconfiança para Theresa May, primeira-ministra. Ou seja, poderemos ter grande alvoroço", completou.

A votação do acordo de saída do Reino Unido da União Europeia pelo Parlamento britânico está prevista para ter início as 17 horas (horário de Brasília) e há a perspectiva de que a proposta costurada pela primeira-ministra Theresa May seja derrubada.

Antes da votação, no entanto, os investidores reagiram aos dados de preços ao produtor nos Estados Unidos mais fracos do que o esperado, que acabou aliviando a pressão sobre a trajetória de alta do dólar no final da manhã.

O índice de preços ao produtor para a demanda final caiu 0,2 por cento no mês passado, contra expectativa em pesquisa da Reuters de recuo de 0,1 por cento.

Com a inflação sob controle, o Federal Reserve, banco central norte-americano, pode ser mais suave em sua trajetória de juros no país neste ano. O Fed e seus representantes têm indicado paciência na condução da política monetária, o que pode resultar em menos altas do que as duas previstas, ou até mesmo estabilidade dos juros no país.

Também era visto com bons olhos pelos investidores nesta terça-feira a sinalização da China de mais medidas de estímulo para amparar a sua economia em meio ao risco de uma desaceleração mais acentuada após ter entrado numa disputa comercial com os Estados Unidos.

Em comunicado, a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma disse que a China buscará alcançar "um bom início" de primeiro trimestre.

No entanto, o euro caía ante o dólar após dados mostrando que a economia da Alemanha desacelerou em 2018, em meio aos temores de desaceleração econômica também na Europa. A libra também recuava ante a moeda norte-americana com as preocupações sobre o Brexit.

A alta do dólar ante a cesta de moedas, entretanto, diminuiu após os dados dos EUA. A moeda norte-americana também exibia pequenas elevações ante divisas de emergentes, como o peso mexicano.

Do lado doméstico, os investidores ainda mantinham o otimismo com o novo governo, com as atenções voltadas nesta terça-feira para nova reunião ministerial e para qualquer novidades sobre a futura proposta de reforma da Previdência.

O BC vendeu nesta sessão 13,4 mil contratos de swap cambial tradicional, equivalente à venda futura de dólares. Desta forma, rolou 6,70 bilhões de dólares do total de 13,398 bilhões de dólares que vencem em fevereiro.

Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.