Publicado em

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), cobrou nesta sexta-feira, 5, de empresários e políticos presentes no 18º Fórum Empresarial LIDE, em Campos do Jordão (SP), o empenho pela aprovação da reforma da Previdência no Congresso, e fez críticas à esquerda.

"Não devemos silenciar, porque nosso silêncio poderá ser pago com a desaprovação da reforma da Previdência, fazendo valer o grito e a malcriação daqueles que não querem a liberdade do Brasil, que querem o Lula livre. Não queremos o Lula livre, queremos o Brasil livre", argumentou.

Para ele, as pessoas presentes no Fórum "remam a favor da reforma da Previdência", mas têm de fazer mais. "Nós devemos trabalhar, dialogar. Converse com seus deputados, seus senadores. Ligue, mobilize, escrevam artigos em jornais, emita sua opinião corajosamente em defesa da reforma da Previdência", disse. "Se não tivemos coragem para falar, os poucos que pensam diferente vão gritar e os poucos diferentes vão intimidar, como tentaram fazer com o ministro Paulo Guedes esta semana."

O governador elogiou ainda a "humildade" do ministro da Economia, Paulo Guedes, ao admitir que pontos poderão ficar de fora para atender às demandas dos Estados do Nordeste e do Norte. Doria ressaltou ainda a presença dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), no evento. "Foi histórico sim. São forças importantes, significativas para a reforma da Previdência", disse.