Publicado em

Atualizado em

(Matéria alterada para correção de informações no terceiro e no quinto parágrafo. Segue a íntegra corrigida)

A guerra entre aplicativos de finanças e os bancos agora se espalha para o segmento de transferências internacionais de recursos para outros países, ramo em que os spreads (prêmios) de câmbio atingiam até 9,27% do volume transferido.

Em dados de março último, os spreads de câmbio em operações de US$ 1 mil variavam significativamente de uma instituição para outra: TransferWise (0%), Banco do Brasil (1,39%), Santander (5,15%), Itaú (5,5%), PayPal (5,56%), Bradesco (5,79%) e Western Union (9,27%).

Ao mesmo tempo, a Western Union possui a menor tarifa (R$ 75) por transferência de US$ 1 mil, seguida pelas demais: Bradesco (R$ 100,42), TransferWise (R$ 103,65), Itaú (R$ 115) e Banco do Brasil (R$ 383,60). Na prática, dependendo do valor enviado, e da soma das taxas cobradas juntas (a fixa e o spread de câmbio), o cliente terá que pesquisar e fazer contas para saber por qual instituição compensa fazer o envio de dinheiro ao exterior.

Ontem, em coletiva de imprensa, a TransferWise, que atua com 49 moedas diferentes via aplicativo, garantiu aos jornalistas que possui o menor custo efetivo total para operações no Brasil, em comparação com os bancos tradicionais. “Os brasileiros poderiam economizar mais de R$ 200 milhões por ano em tarifas se observarem o total effective value (VET, o custo efetivo total)”, afirmou a head (responsável) para América Latina da TransferWise, Diana Ávila.

De acordo com uma pesquisa realizada com 2.427 pessoas que já tinham feito transferências de dinheiro para o exterior, a grande maioria (94,6%) afirma que entende quanto paga por uma transferência internacional. Mas só 8,7% deles sabiam que além da tarifa de transferência, pagavam um spread no valor do câmbio. "Só cobramos uma tarifa. Nós utilizamos o câmbio comercial", diferenciou Ávila

 

Comunicado do Itaú

Nesse segmento agora mais disputado, o Itaú Unibanco anunciou na última segunda-feira que oferecerá o serviço de transferência internacional por meio de seu aplicativo. Em nota, o banco informou que seu serviço de transferência internacional pode ser enviado ao exterior em poucos minutos. O serviço, que normalmente era realizado em até dois dias úteis, valerá para operações realizadas pelo app Itaú no celular, entre 9h30 e 16h do horário de Brasília, e para “envio de dinheiro para conta própria fora do País” ou “auxílio financeiro a estudantes e familiares no exterior”.

“Observamos que cerca de 80% das nossas transações internacionais de pessoas físicas são para familiares e estudantes ou para contas próprias de outras instituições. Para isso, estamos simplificando e automatizando a operação de forma que a transferência internacional seja tão simples quanto uma transferência realizada dentro do Brasil”, diz André Daré, diretor do Itaú Unibanco. A medida, explica o executivo, vai oferecer ainda mais praticidade e comodidade para os clientes.

Segundo a instituição, as inovações dos serviços de câmbio no celular reforçam todo o portfólio de câmbio disponíveis nesse canal e empodera ainda mais o cliente, que já prefere o uso do celular para transações bancárias.

Atualmente as transferências internacionais pelo Itaú podem ser feitas de forma 100% digital, 24 horas por dia e 7 dias por semana para praticamente todos os países. O cliente também pode fazer o agendamento de operações recorrentes, acompanhar os status das operações, tirar fotos e fazer o upload de documentos (caso sejam necessários) e realizar o cadastro de favorecidos.