Publicado em

A fintech de empréstimos entre pessoas – Nexoos – uma pioneira do segmento peer-to-peer (P2P) no Brasil – promete alcançar o montante de R$ 1 bilhão em crédito até o final do próximo ano (2020).

O CEO e sócio-fundador da Nexoos, Daniel Gomes, contou ao DCI que a plataforma registrada como Sociedade de Empréstimos entre Pessoas (SEP) já atingiu o volume de R$ 180 milhões em crédito desde sua primeira operação em setembro de 2016 no Brasil. Em ritmo de crescimento exponencial, a fintech mostrava volumes de R$ 32 milhões em dezembro de 2017 e R$ 110 milhões em dezembro de 2018. “Vamos fechar 2019 com R$ 300 milhões, e nossa meta para o final de 2020 é de R$ 1 bilhão”, apontou Gomes.

Em sua participação no Seminário Inovações e Oportunidades no Mercado de Crédito, realizado ontem, em São Paulo, o CEO comentou que fintechs desse segmento estão atuando “muito bem” desde o surgimento da Zopa (Inglaterra) há mais de uma década. “Os bancos vão ter que se reinventar, pois oferecemos as melhores taxas para tomadores e investidores”, afirmou Gomes.

O executivo detalhou que o ticket médio dos investidores fica entre R$ 40 mil e R$ 50 mil, com aporte mínimo de R$ 6 mil. “A 17% ao ano, rende quase 3 vezes o DI”, comparou. A taxa de depósito interfinanceiro (DI) atual é de 5,9% ao ano.

Na ponta tomadora dos empréstimos, o ticket médio estava entre R$ 90 mil e R$ 100 mil por operação. “São pequenas empresas que não tem ativos para dar em garantia e sem muitas alternativas nos bancos”, disse. Ele contou que a taxa de inadimplência para 90 dias é de 9%, ante a faixa de 10% a 12% desse segmento.