Publicado em

O Itaú Unibanco elevou a projeção do ritmo de queda da taxa Selic no Comitê de Política Monetária (Copom) deste mês. Agora, aguarda corte de 0,50 ponto porcentual no juro em julho, e não mais de 0,25 ponto. A projeção para a taxa no fim do ano segue em 5,00%.

Nota assinada pelo economista-chefe do banco, Mario Mesquita, diz que o caminho no Brasil está livre para a retomada do ciclo de cortes de juros. Passadas as etapas “mais cruciais” para a reforma da Previdência, o contexto é de crescimento econômico lento, elevada capacidade ociosa e inflação baixa, avalia Mesquita na nota. Este cenário “deve levar a autoridade monetária a retomar a flexibilização no final de julho, com um corte de 0,50 ponto porcentual, redução mais intensa do que prevíamos inicialmente, levando a taxa Selic para 5% no final do ciclo de cortes”, continua a nota. O banco espera que o nível de 5,00% seja mantido ao longo do próximo ano.

Fora a expectativa de redução mais expressiva da Selic no início do novo ciclo, o Itaú Unibanco observa que o cenário para o Brasil mudou muito pouco desde o mês de junho. A instituição espera ainda crescimento de 0,8% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2019 e expansão de 1,7% em 2020. /Estadão Conteúdo