Publicado em

O presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, afirmou nesta quarta-feira, 19, que a mudança no comando do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) não afeta a operação de follow on (oferta subsequente de ações) do ressegurador IRB Brasil Re. "O novo presidente do BNDES já estava envolvido nessa operação de follow on do IRB. Acho que não muda nada", disse Novaes. Nesta semana, Gustavo Montezano foi indicado para substituir Joaquim Levy na presidência do banco de fomento.

Como informou o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado, em 6 de junho, a União negocia com o Banco do Brasil a possibilidade de se desfazerem juntos da participação que detêm no IRB Brasil Re em uma oferta de ações com potencial de movimentar mais de R$ 8 bilhões.

O BNDES foi designado, por meio de decreto, como responsável para executar e acompanhar os atos necessários para a venda das ações do IRB. Assim, o banco público passa a ter em mãos uma espécie de procuração e, na prática, poder para tomar decisões em nome do governo para realizar a venda de ações do IRB. "A mudança no BNDES não muda nada em relação à operação do IRB", reforçou mais cedo Novaes, após encontro com o ministro da Fazenda, Paulo Guedes.