Publicado em

A Via Varejo, novamente sob o controle da família Klein, escolheu o executivo Roberto Fulcherberguer como presidente da companhia e começou a fazer uma ofensiva sobre executivos da concorrência, em especial do Magazine Luiza, rede que tem crescido e conquistado claramente a preferência do mercado financeiro.

Foi na rival que a Via Varejo encontrou o nome para tocar sua operação online: Ilca Sierra, que estava no Magazine havia 10 anos e comandava a área de marketing multicanais da varejista. A atuação online é considerada uma das principais deficiências da Via Varejo. A companhia anunciou ainda a contratação de cinco outros executivos, com passagens por varejistas como Walmart e Carrefour.

Em vídeo divulgado pela Via Varejo para funcionários na segunda-feira, Fulcherberguer, que atua no varejo há mais de 20 anos, com passagens por companhias como Arapuã e Pão de Açúcar, prometeu reduzir o espaço que a dona da Casas Bahia e do Ponto Frio vem perdendo para o Magazine Luiza.

Endereçando diretamente o fato de a Via Varejo ter cedido espaço nos últimos anos para a vice-líder do setor, Fulcherberguer afirmou que “tem alguma coisa errada” com a proprietária da Casas Bahia. “Vendemos R$ 10 bilhões a mais do que nossa principal concorrente, mas eles valem R$ 34 bilhões a mais na Bolsa”, disse.

Fulcherberguer também criticou a gestão do GPA. “Temos de voltar a fazer o básico bem feito”, disse. “Vamos ter um rumo certo e preciso porque a Via Varejo tinha um rumo a cada ano.”

Demandas. Desde 2013, quando deixou a vice-presidência comercial da Via Varejo, Fulcherberguer atuava só no conselho da varejista. Ele também afirmou que haverá mudanças na atuação online e prometeu reformas nas lojas, mas não “do dia para a noite”. “Sei que tem muita demanda por fachada nova, por ar condicionado, por reforma de piso”, afirmou.

Com a saída do Grupo Pão de Açúcar da sociedade da varejista de eletrodomésticos, um total de 12 altos executivos serão substituídos. O ex-presidente da Via Varejo Peter Estermann, que segue à frente do GPA, renunciou ao cargo após a saída do grupo do rol de acionistas da empresa de eletrodomésticos.

Tirar a atual vantagem do Magazine Luiza será uma corrida ladeira acima. Segundo dados de 2018, a Via Varejo é maior do que o Magazine Luiza, com receita bruta de mais de R$ 30 bilhões. Mas a empresa está bem atrás em lucratividade e relevância no mundo online: enquanto a concorrente arrecada 38% das receitas na internet, a Via Varejo só soma 19%.

Procurada, o Magazine Luiza não quis comentar.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.