Publicado em

Por Caroline Valetkevitch

NOVA YORK (Reuters) - As ações dos Estados Unidos terminaram estáveis na segunda-feira, com o aumento das expectativas em torno da concessão de estímulos por parte de bancos centrais ao redor do mundo sendo compensadas por perdas em ações de tecnologia e de assistência médica.

Os investidores também pareciam se afastar das compras depois que o mercado registrou fortes altas na semana passada, disseram estrategistas. O Microsoft Corp foi o maior obstáculo do dia para o S&P 500 e o Nasdaq.

O Dow Jones Industrial Average subiu 38,05 pontos, ou 0,14%, para 26.835,51, o S&P 500 perdeu 0,28 pontos, ou 0,01%, para 2.978,43, e o Nasdaq Composite caiu 15,64 pontos, ou 0,19%, para 8.087,44.

O índice financeiro S&P 500 estava entre os grupos com melhor desempenho do dia, subindo 1,5%, com os bancos ganhando 3,2% e os rendimentos dos Treasuries avançando em meio a apostas crescentes de um corte na taxa de juros na reunião de setembro do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA).

Cimentando essas expectativas, o presidente da autoridade monetária, Jerome Powell, disse na semana passada que o banco central "agiria conforme apropriado" para sustentar a expansão econômica, uma frase que os mercados financeiros leram como um sinal de um corte iminente nas taxas.

"Isso é como o olho da tempestade", à medida que os investidores aguardam mais notícias sobre taxas de juros ou comércio, disse Paul Nolte, gerente de portfólio da Kingsview Asset Management em Chicago.

Mas, ele disse, "para que o mercado suba significativamente mais a partir desse ponto, realmente precisamos ver algo acontecer no comércio".

Os ativos subiram na semana passada em grande parte por diminuição das preocupações com as negociações comerciais entre EUA e China.

Nesta semana, o Banco Central Europeu (BCE) deverá introduzir novas medidas de estímulo em sua reunião na quinta-feira.

"O mercado está absorvendo esses ganhos desde a semana passada e ... está esperando para ver a reunião do Banco Central Europeu", disse Quincy Krosby, estrategista-chefe de mercado da Prudential Financial em Newark, Nova Jersey.

Mais cedo na segunda-feira, o secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, disse não ver ameaça de uma recessão enquanto o governo Trump tenta reviver as negociações comerciais com a China, acrescentando que espera um ano positivo para a economia dos EUA. [nL2N2600KS]