Publicado em

(Texto atualizado em 26/06 para correção de informação: Luciane Aquino é a sócia da aceleradora e não Luciene, como informado anteriormente. Segue abaixo a íntegra corrigida.)

A aceleradora de negócios Organica, que já tem escritórios em São Paulo e Rio de Janeiro, anunciou a abertura de uma nova sede, em Porto Alegre. A iniciativa se dá por conta da consolidação da sua carteira de clientes na região, hoje com uma empresa tradicional e três startups.

Diferentemente das aceleradoras de startups que abrem inscrições a cada semestre e investem nos empreendedores em troca de participação societária, a Organica é contratada por empresas nascentes e também por grandes companhias para fazer uma transformação digital ou acelerar o crescimento de uma área da empresa.

Sócia da aceleradora, Luciane Aquino explica as principais diferenças de sua atuação em relação a consultorias. Uma delas é o fato de a equipe ser composta por ex-executivos de empresas tradicionais, como o CEO, Roni Cunha, que foi vice-presidente do portal Terra, e a sócia Priscilla Erthal, que atuou pelos e-commerces Hotel Urbano e Netshoes.

Outro diferencial é que a companhia não realiza diretamente as mudanças para seus clientes. “A gente atua sempre de perto, mas a execução é sempre com os funcionários deles [dos clientes], caso contrário a gente vai embora e o aprendizado vai junto”, diz.

No caso de Porto Alegre, a Organica foi contratada por três startups - Delivery Center, Rocket.Chat e Umbler - e pela fabricante de calçados Vulcabras Azaleia, gigante de capital aberto.

As demandas são diferentes. De acordo com Luciane, a Organica está trabalhando com a Vulcabras no marketing de performance da marca Olympikus, enquanto a Umbler, startup que oferece soluções para hospedagem em nuvem, está sendo auxiliada no seu processo de internacionalização.

Embora atue em todas as regiões do Brasil, a aceleradora quer estar presente fisicamente onde a maior parte de seus clientes está. Esse foi o motivo da abertura da sede em Porto Alegre e Luciane não descarta a presença física em outras capitais.

Com quase três anos de atuação, a Organica já atuou com cerca de 40 clientes, sendo mais de 60% startups, com destaque para fintechs.