Publicado em

A Bauducco vai selecionar até cinco startups para seu primeiro programa de aceleração, o B.Lab. Por meio da iniciativa, as empresas nascentes vão receber mentorias de uma equipe da aceleradora Liga Ventures, que é parceira do projeto, e de executivos da companhia do segmento de alimentos.

Além disso, os empreendedores escolhidos vão poder trabalhar no escritório da Bauducco em São Paulo, com acesso a investidores e outras startups da rede.

Como contrapartida, as empresas selecionadas terão que desenvolver um projeto piloto junto à companhia para melhorar a gestão de algumas áreas de atuação.

Desse modo, o B.Lab vai selecionar startups que atuam com automação industrial e com controle de qualidade e vendas. As empresas de gestão de franquias, logística e as foodtechs, que são startups do segmento de alimentação, também podem fazer parte da iniciativa.

Além dessas, os empreendedores dos segmentos de relacionamento com o cliente e com o ponto de venda, da área de sustentabilidade ou com alguma proposta tecnológica também podem ser selecionados.

De acordo com o diretor de marketing da Bauducco, André Britto, a empresa vem se interessando pelo movimento de startups e de inovação aberta há algum tempo. Exemplo disso é que alguns projetos inovadores pontuais em frentes de marketing já haviam sido testados, segundo ele.

“Hoje, o B.Lab vem para contribuir como uma oportunidade adicional de gerar negócios para a companhia e oxigenar a cultura empreendedora da empresa. Além de aportar para o ecossistema de startups do Brasil.”

Com início em 2020, o programa terá a duração de quatro meses e as inscrições ficarão abertas até o dia 22 de setembro no site da companhia. Após o primeiro cadastro, os interessados vão passar por um processo seletivo desenvolvido com a Liga Ventures e o pitch day deve ocorrer em outubro.

A iniciativa não envolve investimentos diretos porque, em um médio prazo, a intenção da Bauducco é estabelecer negócios com os escolhidos.