Publicado em

O novo Cubo Itaú, hub de empreendedorismo tecnológico, foi aberto oficialmente nesta quarta-feira. Localizado na Vila Olímpia, em São Paulo, em uma área total de 20 mil m² e com 14 andares, o espaço tem capacidade para abrigar 1.250 empreendedores residentes. Atualmente, cinco andares estão ocupados com 65 empresas dos segmentos de saúde, educação, fintechs, indústria e varejo.

O local é quatro vezes maior que o anterior, fundado em setembro de 2015. O outro prédio, chamado de Cubinho, não vai continuar com as operações.

No novo ambiente, há espaços para networking e interação, cozinhas, salas de reuniões, salas individuais para as sartups maiores, áreas multidisciplinares de coworking e áreas de recreação. Além disso, no sistema vertical, cada andar com locais de trabalho tem um mezanino onde ficarão as grandes companhias parceiras do Cubo, como a rede de laboratórios de diagnóstico Dasa e a empresa de educação Kroton, dividindo espaço com as startups dos mesmos setores destas.

O valor a ser pago pelo empreendedor interessado no espaço é de cerca de R$ 1.050 por mês. O diretor de tecnologia do Itaú Unibanco, Lineu Andrade, explica que o valor não é só de locação de espaços, mas também inclui mentorias e acompanhamento do desenvolvimento das empresas. “O Itaú não pede sociedade nas empresas selecionadas, mas acredita na troca de experiência em que todos saem ganhando”, disse.

Segundo o managing director do Cubo, Flavio Pripas, as startups podem ficar alocadas o tempo que precisarem para o seu crescimento. “Mas a cada seis meses nós conversamos [com as startups] sobre a possibilidade de sair [do Cubo], tanto aquelas que estão dando certo, com mais de 20 funcionários, quanto aquelas que não estão contribuindo tanto com o ecossistema de empresas.”

Para as startups fora de São Paulo que querem participar, o hub oferece um serviço de streaming chamado Cubo Digital. Hoje, já são 256 empresas integrantes. Andrade explica que a curadoria é muito semelhante à dos meios presenciais e que, conforme a companhia vai crescendo, acumula pontos que podem ser trocados pela utilização de espaços presenciais, como salas de reunião.