Publicado em

SÃO PAULO - A carioca HE:Labs começou como uma desenvolvedora de software e, em sete anos de atuação, virou uma holding, dona das marcas Ignus, com foco em inovação para grandes organizações, e Impulso, especializada na alocação de times para desenvolvimento de software em outras empresas. Essa transformação aconteceu para a companhia continuar com a agilidade de uma startup.

A HE:Labs atuava com duas grandes divisões. Uma delas era uma vertical de negócios para clientes que tinham necessidade de inovar e gostariam de mudar seu modelo de atuação. A outra atividade era com empresas que já tinham sua equipe de desenvolvimento de software, mas queriam ser mais ágeis.

A Impulso vai atuar neste último segmento, ou seja, colocar uma mentalidade de startup na equipe de desenvolvimento de grandes empresas. Além de treinar a equipe, a HE:Labs trabalha como uma rede de profissionais e escala essas pessoas de acordo com a necessidade do cliente.

De acordo com Rafael Miranda, CEO da Impulso, a companhia conta com 200 profissionais em sua rede e quer chegar a 2 mil em seis meses. A busca, segundo ele, se dá por meio de fóruns e grupos de profissionais de desenvolvimento e de designers.

A Ignus se posiciona com foco em áreas de negócios de grandes empresas, desde setores de inovação até marketing. A empresa vai ajudar seus clientes a executar projetos de transformação digital, como a criação de um laboratório de startups ou o desenvolvimento de um aplicativo.

A diferença em relação a uma consultoria tradicional, segundo Miranda, é o fato de a HE:Labs trabalhar junto com as empresas. Ele cita o exemplo do grupo de educação Kroton. “Neste caso a gente ajudou a equipe de vendas deles com a gamificação”, conta.

No caso da criação de um produto há o exemplo do MCare. O aplicativo para monitoramento de pacientes foi desenvolvido em parceria com a Montreal Informática.

Internacionalização

Para crescer também no exterior, a companhia já atua em Portugal. “Me mudei para apoiar a expansão na Europa e ano que vem nossos sócios vão para os EUA para impulsionar o crescimento lá”, diz Miranda.

A empresa conta com clientes na Alemanha e Irlanda, na Europa, além de algumas companhias norte-americanas, como a General Electric. No Brasil, a HE:Labs já atendeu clientes como Lojas Americanas e Bio Ritmo.

Esse processo de internacionalização deve permitir manter o ritmo acelerado de crescimento que a empresa observa nos últimos anos. O crescimento médio da HE:Labs é de 45% ao ano, segundo a companhia. Em 2017, o faturamento ficou na faixa dos R$ 12 milhões.