Publicado em

Permitir que consultores agrícolas elaborem recomendações mais precisas aos produtores e otimizem seu tempo de trabalho em campo é uma das propostas da InCeres. A plataforma da startup de agricultura de precisão atua como uma gestora de dados que reúne e processa informações de várias fontes, para gerar em minutos uma espécie de pré-diagnóstico capaz de embasar melhor a análise do profissional.

A ferramenta recebe dados de amostragem colhidos pelos especialistas nas fazendas. Essas informações são cruzadas com as de outras fontes, como imagens de satélite e bancos de dados topográficos. O resultado é apresentado em mapas que ajudam o profissional a visualizar o que está acontecendo na lavoura.

Segundo o CEO da startup, Leonardo Menegatti, no processo convencional de análise, a obtenção das informações e a avaliação delas podem levar horas. Com a tecnologia, esse tempo é reduzido para alguns minutos, diz.

Os mapas digitais mostram dados de fertilidade, produtividade, relevo e incidência de pragas e doenças de qualquer área agrícola brasileira. As imagens de satélite e o banco de dados topográficos são fornecidos por empresas parceiras.

Geralmente, os produtores contratam consultores para fazer gestão de dados em todos os períodos de produção, inclusive na entressafra. O objetivo é estimar quanto a propriedade vai produzir, quanto vai custar para manejar a safra e o que será preciso fazer para ter bons resultados.

Para obter as informações da lavoura, os profissionais precisam coletar amostras in loco. Com a plataforma, eles estabelecem previamente os pontos da fazenda a serem visitados e qual percentual da área deve ser avaliado. Após comparecer aos pontos de pesquisa, o consultor alimenta o banco de dados da InCeres, que integra essas informações aos mapas digitais.

Negócios

Tendo os consultores como principal mercado, a startup atraiu a atenção de entidades do setor e empresas agrícolas que disponibilizam esses profissionais para seus associados. Hoje a InCeres atende a 82 companhias do agronegócio. Cada uma tem, em média, quatro especialistas, e cada profissional atende por volta de 20 produtores.

As companhias que contratam os serviços pagam uma mensalidade que varia conforme o tamanho da área processada.

A plataforma atua principalmente com soja, milho, cana, café e algodão, mas pode ser adaptada para qualquer cultura.

Ao conhecer melhor as fazendas a partir das análises, os consultores geralmente indicam os produtos mais adequados a serem aplicados em cada caso e a quantidade ideal. Por isso, a startup também enxergou uma oportunidade de mercado em conectar os produtores aos fornecedores de insumos, que podem fechar negócios por meio da plataforma. Quando uma compra é finalizada por meio da ferramenta, a empresa fica com uma comissão de valor não revelado.

Além disso, a InCeres abre espaço para fabricantes de produtos para agricultura fazerem ações de marketing. Em alguns casos, os consultores levam amostras dos itens aos agricultores, o que ajuda na divulgação e nas vendas. Neste caso, a startup cobra um valor por campanha, que varia conforme a região em que ocorre e as ações envolvidas.

A empresa não revela o faturamento nem os investimentos obtidos desde sua fundação, em 2015, em Piracicaba (SP). Mas recebeu aportes do fundo de venture capital (capital de risco) SP Ventures em 2016 e de investidores anjos em abril de 2018. Atualmente, a startup é acelerada pelo Pulse, hub de inovação da Raízen, joint venture entre as gigantes de combustíveis Shell e Cosan.