Publicado em

Há 295 startups oferecendo produtos e serviços para as indústrias no Brasil. Elas atuam em 22 Estados e 81 cidades, sendo as regiões Sul e Sudeste responsáveis por 88% desse montante.

Um quarto das empresas nascentes tem menos de dois anos de operação. A maior parte das companhias conta com dois ou três sócios. Entre as 295, 39% possuem uma mulher no quadro societário. Em relação à idade dos fundadores, a maioria tem entre 30 e 44 anos.

Isso é o que aponta levantamento divulgado hoje pela Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq). A aceleradora voltada para startups do setor industrial Spin realizou a pesquisa.

Na apresentação do estudo, o fundador da Spin, Beny Fard, citou que as startups mais bem sucedidas contam com um fundador sênior. Este profissional geralmente já passou por indústrias como funcionário ou executivo antes de empreender.

Praticamente metade (46%) das empresas nascentes mapeadas já passaram por um programa de aceleração.

Sobre o modelo de atuação dessas empresas, 35% delas atuam no SaaS (do inglês Software as a Service), ou seja, oferecendo um software como serviço. Também bastante utilizados estão os aplicativos (14%) e o marketplace (13%).

Ainda na análise dos serviços oferecidos, 20% das startups têm o foco em oferecer soluções para a redução de custos e de perdas. Outras 18% são voltadas a aumentar a eficiência operacional das indústrias.

As maiores dificuldades relatadas pelos empreendedores são o acesso a capital (26%), seguido pela dificuldade de mercado (18%). Reflexo da falta de capital, 66% dos entrevistados declararam utilizar capital próprio e somente 13% contaram com investimento anjo. 

O estudo mostrou ainda que as indústrias ainda não investem muito nas startups, já que o aporte direto foi de apenas 8%, ou seja, 55 indústrias que participaram do levantamento.