Publicado em

Atualizado em

(Texto alterado em 09/08 para atualização. A empresa atende 42 prefeituras e não 33, como informado anteriormente.)

A startup 1Doc desenvolveu um software para prefeituras que integra dados de todas as instituições municipais, como escolas e secretarias. A proposta do sistema unificado é fazer uma gestão de documentos mais eficiente e assim melhorar a comunicação interna e o atendimento ao público, além de reduzir o número de impressões e a quantidade de papéis arquivados.

Com essa premissa, a empresa criada em 2014 em Florianópolis já atende 42 prefeituras no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e em São Paulo. O faturamento atingiu R$ 600 mil em 2017 e, com o aumento de clientes, a projeção é chegar a R$ 2 milhões em 2018, dizem os sócios.

A empresa foi fundada em 2014 por Jéferson de Castilhos e Jaison Niehues, que antes trabalhavam como funcionários públicos. Essa experiência ajudou os sócios a entender as principais demandas do setor e como atendê-las, diz Castilhos. Diferente de outras startups com plataformas para os setores público e privado, a 1Doc é voltada a órgãos de governo. 

Durante o desenvolvimento do software, lançado ainda em 2014, a dupla investiu cerca de R$ 150 mil. Em 2017, a empresa também recebeu um aporte de valor não divulgado da Softplan, empresa de desenvolvimento de softwares de Santa Catarina.

Castilhos afirma que muitos sistemas utilizados por instituições da administração pública, como secretarias, bibliotecas e escolas, não integram suas informações e documentos. Desse modo, a comunicação com outras entidades municipais e com os cidadãos é dificultada.

“A maior parte dos softwares utilizados nas instituições [municipais] é do final dos anos 90 e a mudança para as tecnologias dos dias atuais é lenta. Isso faz com que o cidadão tenha que ir sempre presencialmente ao órgão para ter sua resolução concluída”, diz.

A utilização da plataforma reduz ou elimina a necessidade de as pessoas resolverem de forma presencial suas questões em órgãos públicos. Pela internet e com as informações em nuvem e integradas, a tecnologia da 1Doc possibilita que muitas demandas sejam resolvidas no ambiente virtual. Hoje a startup tem 5,5 mil usuários ativos e 6.264.523 documentos registrados.

Por meio da plataforma, também é possível medir em tempo real a eficiência e a qualidade de todos os setores de administração, diz Castilhos. Assim, ficam indicados quais são as secretarias, postos de saúde e outras instituições municipais de maior eficiência.

Seguindo essa ideia de comunicação fácil e transparente, a 1Doc disponibiliza todos os preços e projetos no seu site.

Startups no setor público

Para Letícia Piccolotto, fundadora e presidente do conselho da BrazilLAB, aceleradora de startups voltadas para a administração pública, os empreendedores que apostam em soluções para esse setor encontram um mercado grande. “Como [o mercado] é pouco explorado, tem mais oportunidades de as startups serem pioneiras em suas inovações”, diz.

Fundada há dois anos, a BrazilLAB recebeu inscrições de cerca de 1.300 startups interessadas em seus processos de aceleração de negócios. Das selecionadas, 26 foram aceleradas. Para Letícia, o setor público está, cada vez mais, percebendo que inovação e transparência são pautas necessárias. “Os gestores públicos estão entendendo que a inovação é a resposta para o excesso de burocracia e para um governo mais eficaz”, afirma.

Embora considere o mercado promissor, Letícia sugere que as startups tenham cuidado ao fazer das entidades governamentais seu único cliente. “É arriscado para as estratégias financeiras e para o fluxo de caixa. Com mudanças periódicas na liderança política, os contratos e negociações podem ficar vulneráveis e, além disso, podem ocorrer atrasos nos pagamentos”, alerta.