Publicado em

Com o objetivo de melhorar habilidades de comunicação, como audição, fala e memória, a startup Communicar criou uma plataforma com 123 jogos que ajudam a desenvolver este processo. Denominada de Afinando o Cérebro, a tecnologia beneficia, principalmente, pessoas com distúrbio do processamento auditivo central (Dpac), além daquelas com dislexia ou transtorno de déficit de atenção com hiperatividade (Tdah).

O processamento auditivo é a capacidade de interpretar e entender as informações captadas pelo ouvido. Quando um indivíduo apresenta algum problema neste processo, pode ser diagnosticado com Dpac. A dificuldade não está necessariamente na audição, mas na habilidade do cérebro de compreender o que é captado.

Feita para ser utilizada por fonoaudiólogos, psicólogos, pedagogos e neuropsicólogos com seus pacientes, a plataforma tem cerca de 20 mil usuários ativos em todo o Brasil. O número representa tantos os profissionais de saúde quanto pessoas físicas que também podem contratar os serviços.

Os jogos são usados como um exercício para os pacientes durante as consultas e apresentam  análises de desempenho das habilidades observadas. Isso é possível porque as atividades estimulam a memória, a concentração, a associação de ideias e a velocidade para processar os conteúdos. Os jogos têm diferentes níveis de dificuldade e não há limite de idade. Cada usuário ganha um login e, assim, pode acessar a plataforma em qualquer computador ou dispositivo.

A professora de audiologia Eliane Schochat, responsável pelo laboratório de processamento auditivo da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), ressalta que os treinamentos, mesmo em formatos digitais, devem sempre ser acompanhados por especialistas da área.

O diretor de marketing e co-fundador da startup, Henrique Cerioni, explica que a tecnologia não substitui o acompanhamento médico. “Servimos como uma ferramenta de apoio. Fazemos com que as pessoas compreendam melhor o que ouvem”, explica.

O plano profissional trimestral custa de R$ 116 a R$ 188, variando conforme a quantidade de usuários, que pode ser de até 30 pacientes. Ou seja, o especialista que contratar o serviço pode utilizá-lo com até 30 indivíduos. Os valores podem mudar em contratos semestrais e anuais. O pacote individual para pessoa física custa R$ 173 na versão semestral e R$ 322 na anual.

A Communicar foi criada em 2002, em Sorocaba (SP), e recebeu investimentos de cerca de R$ 500 mil dos próprios sócios, desde a fundação. A plataforma Afinando o Cérebro foi lançada em 2012. Quando a startup começou, desenvolvia e comercializava um jogo para computador voltado para alfabetização, chamado Pluck.

“Criamos a Afinando o Cérebro porque queríamos ampliar a linha de produtos oferecidos, mas ainda dentro deste segmento de desenvolver o processo de comunicação, como no Pluck. Além disso, queríamos um produto online, que não ocupasse memória e fosse mais fácil de acessar”, diz o diretor.

Desenvolvida por Cerioni e suas sócias, Ingrid Gielow e Diana Melissa Faria, a Afinando o Cérebro é hoje o principal produto da startup, que continua comercializando o Pluck. O diretor não divulga o faturamento, mas diz que, desde 2012, a empresa registra bom crescimento anual. “Estamos crescendo uma média de 60% ao ano”, afirma. 

Mercado

Outras empresas oferecem plataformas e jogos para computador e dispositivos móveis que também têm a proposta de desenvolver o processamento auditivo, como a Fofuuu e o Duo Training. Para Eliane, da USP, o uso de tecnologias neste segmento é uma tendência.

“A utilização de tecnologia em todas as áreas da saúde deve aumentar. No caso do desenvolvimento do processamento auditivo, os jovens e crianças se interessam muito mais por este tipo de treino [digital]”, diz a especialista.