Publicado em

A empresa Vale Saúde criou um serviço financeiro que promete acesso a consultas e exames médicos com preços mais baixos do que a média do mercado. Por meio do cartão pré-pago Vale Saúde Sempre, o cliente deposita o valor que irá utilizar e pode ter acesso a serviços como sessões de psicólogo, por exemplo, por uma média de R$ 45. Segundo a startup, o preço médio no mercado deste tipo de tratamento é de R$ 100.

O cliente realiza os agendamentos por meio de uma central de atendimento ou contatando as clínicas e médicos disponíveis no site. Com cinco anos de atuação, a empresa paulistana quer atuar como uma alternativa entre os planos de saúde e a rede pública. Em média, as consultas pagas com o cartão podem sair por R$ 60 a R$ 80.

A anuidade do cartão é de R$ 346,80 e pode ser parcelada em 12 vezes. É desta forma que a empresa garante seu faturamento. As clínicas e laboratórios credenciados não pagam nenhum tipo de taxa para a Vale Saúde.

Tendo realizado a compra do cartão, o paciente já pode carregá-lo e iniciar o agendamento de consultas e exames. O valor é totalmente repassado aos laboratórios e médicos, uma vez que o preço do serviço é debitado diretamente do cartão. 

Em abril de 2018, a Vale Saúde recebeu um aporte de R$ 2,1 milhões de integrantes da HBS Alumni Angels of Brazil, entidade formada por mais de 130 ex-alunos da universidade de Harvard, nos EUA.

O recurso será investido para ampliar a atuação da empresa no território nacional. A meta para 2018 é estar presente em todas as 17 cidades brasileiras com mais de 1 milhão de habitantes. O passo seguinte será expandir o atendimento para todos os municípios com mais de 100 mil habitantes.

O CEO da empresa, Eduardo Brigagão, conta que, apesar de tratar-se de uma forma de acesso à saúde mais barata, a empresa não é classificada como uma administradora de planos de saúde. Por este motivo, não há a possibilidade de oferta de internação nem atendimento em pronto-socorro de hospitais privados.

“Somos uma solução de pagamentos e atuamos de acordo com as regras do Banco Central”, esclarece.

A consultora da Frost & Sullivan Rita Ragazzi, especializada em saúde, avalia que o modelo de negócios da startup é facilmente aplicável e funciona bem.

“A ideia é muito boa, pois se trata de uma empresa que oferece serviços de saúde, mas que conseguiu livrar-se das questões regulatórias desta área por não ser um plano”, diz Rita.

Atuação

Brigagão explica que a garantia de preços baixos faz parte da parceria com médicos e clínicas. “Negociamos com as empresas para termos preços próximos aos planos de saúde”, afirma.

Entre as clínicas e laboratórios disponíveis há marcas como o A+, do Grupo Fleury, e a AFIP (Brasil Medicina Ocupacional). Os médicos e laboratórios parceiros receberem o repasse dos pagamentos semanalmente. 

Os credenciados que tiverem dependentes podem cadastrá-los gratuitamente. O número de dependentes é ilimitado e não é necessário o pedido de mais cartões: todos utilizam o mesmo plástico para ter acesso aos serviços.

A rede atinge as capitais do Rio de Janeiro, de São Paulo e da Bahia. Além disso, está presente em grandes cidades do interior do Rio e de São Paulo, como Campinas e Duque de Caxias.