Publicado em

Adaptar uma empresa para a economia digital é um grande desafio. Em uma rede de franquias, o esforço é ainda maior, uma vez que o processo de aceitação envolve todos os franqueados, que precisam “comprar” a ideia das mudanças e aplicar as novidades em mercados e realidades completamente distintas.

Apesar dos desafios, muitas redes estão em um acelerado processo de transformação digital. Algumas empresas se instalaram em pólos de inovação e estão investindo em assistentes virtuais que fazem uso da inteligência artificial, aplicativos, plataformas de gestão de pessoas, entre outras ferramentas que podem facilitar os processos tanto para os franqueados como também para os consumidores finais.

Assistente virtual

A OrthoDontic é pioneira em franquias no segmento de clínicas especializadas em serviços de ortodontia e, desde 2002, trabalha para oferecer acesso à odontologia de qualidade e com tecnologia a toda a população brasileira. Entre as suas inovações, a rede conta com a Olívia, uma assistente virtual desenvolvida internamente e que faz uso da inteligência artificial, para agendar e confirmar as consultas.

Segundo Fernando Massi, sócio-fundador da Orthodontic, com o uso da inteligência artificial foi possível conseguir 94% de assertividade nas confirmações de horários. “Isso nos gera, no fim das contas, uma presença maior dentro das nossas clínicas. E, no final das contas, aumento no faturamento de 16%, com a presença dessas pessoas ali”, diz.

Centro de Pesquisa

Fundada em 1993, a Casa do Construtor é uma rede de franquias especializada em locação de equipamentos para construção civil e soluções para o dia a dia. Recentemente, a empresa se instalou no Campus de Inovação?ONOVOLAB. Situado em São Carlos (SP), o espaço é um campus de inovação que reúne diversos profissionais e empreendedores para pensar em novas soluções para o mercado. A proposta é implantar uma cultura de inovação dentro da rede e fomentar o desenvolvimento de soluções e modelos de negócios baseados na tecnologia.

De acordo com Cristina Monte de Oliveira, gerente de administração e tecnologia da Casa do Construtor, esse processo de transformação digital na Casa do Construtor, começou há três anos, quando os gestores decidiram fazer uma revisão de todos os processos da operação de lojas da rede Casa do Construtor. “Depois, desenvolvemos uma ferramenta de B.I. (Business Inteligence) que auxilia o franqueado a melhorar a gestão de sua unidade”, diz. Segundo ela, para esta funcionalidade a franqueadora investiu cerca de R$ 2 milhões. “Apenas com este movimento, crescemos 25% em faturamento no comparativo de janeiro a maio deste ano, frente ao mesmo período do ano passado”, conta.

Realidade aumentada

Não é só de novas receitas que vive o segmento de alimentação. A rede Água Doce inovou o cardápio acrescentando uma pitada de tecnologia. Primeiro, a marca utilizou o fundo de propaganda para dar andamento ao projeto das fotos em 360 graus de todas as 80 unidades da rede. “A área de alimentação está associada ao atendimento físico, mas para galgar espaço no mercado e se destacar da concorrência é preciso aprimorar o contato e a presença digital da Água Doce. Dessa forma, quando o interessado efetua uma reserva, o franqueado pode mandar o link pelo WhatsApp do cliente que consegue visualizar os ambientes do restaurante e definir o local mais adequado onde deseja sentar. De um modo geral, quando a marca é pesquisada no Google e o consumidor não conhece bem os restaurantes, ele encontrará uma representação fiel da beleza da unidade, já que temos muito cuidado com o requinte dos nossos pontos de venda”, explica o diretor de franquias da Água Doce Sabores do Brasil, Julio Bertolucci. Em consequência, a rede fica bem representada na Internet e futuros investimentos em Adwords se tornam mais eficazes.

Outra estratégia adotada pela rede foi a de incluir nos cardápios QR Code. Com isso, quando o cliente acessa a versão virtual tem as informações nestes dois idiomas. Além disso, é possível consultar a tabela nutricional e a lista de alergênicos.

Também há a aplicação de Realidade Aumentada. O cliente efetua o download do aplicativo da Água Doce. Em seguida, basta apontar o celular para as páginas marcadas com o selo de realidade aumentada e verá a página do cardápio se transformar em uma experiência áudio visual. São recursos para trazer comodidade e informação fundamental aos clientes. Além disso, Bertolucci garante que as vendas aumentaram em 20%.

Prateleira infinita

Nas lojas da Bibi há uma integração com o canal de e-commerce. “Dessa forma, se você está na loja e deseja um determinado produto que não tem a numeração em questão, a atendente pode efetuar a compra pelo e-commerce. A mesma coisa acontece no e-commerce, você pode comprar online e retirar em uma unidade da Bibi”, explica a diretora de varejo da rede, Andrea Kohlrausch.