Publicado em

Os brasileiros aos poucos têm incorporado em seus hábitos o uso de cartões como meio preferencial para pagamentos de suas contas. Muitos consumidores, por sinal, simplesmente, não carregam mais consigo dinheiro em papel moeda ou talões de cheques, apenas levam os cartões de plástico na carteira.

Para lojistas, a opção pelo plástico traz muitas vantagens, uma delas é que varejistas transferem aos “cartões” o risco de inadimplência e eventuais fraudes, evitando assim prejuízos financeiros. Fato é que a segurança é um dos principais requisitos para conquistar os consumidores.

Segundo a consultoria Euromonitor, no ano passado foram realizadas mais compras com cartão de crédito do que em dinheiro. Contribui para isso o fato de a população estar cada vez mais adaptada ao ciclo de compras online e, sem dúvidas, isso inclui os meios de pagamento.

“Este é um ponto bastante peculiar, pois normalmente sempre pensamos em como aumentar a conversão de vendas e as métricas normalmente são a quantidade de cliques que o cliente dá até concluir a compra online. Mas, a questão da segurança é essencial”, pontua Teogenes Panella, Head de Segurança da Informação da Vindi, plataforma de gestão de pagamentos recorrentes.

Pequenos comerciantes são o principal alvo dos criminosos virtuais conforme relatório da Verizon onde 61%. Este alto nível é devido ao elevado custo das ferramentas e processos de segurança da informação.

“Acredito que a dica mais valiosa para manter o lojista e seus consumidores seguros é invista pesado em segurança ou contrate uma solução de pagamento que faça este investimento para você”, recomenda Panella.

Clientes antenados

Atualmente os clientes que comprar nos e-commerces já estão cientes da existência de sites clonados e e-mail phishing e prestam atenção em erros de português e botões com falhas, diz Panella. “Assim se o site apresentar algum tipo de inconsistência pode levar o cliente a não realizar a compra por desconfiar da credibilidade do e-commerce, pois qualidade e segurança são dois assuntos extremamente ligados hoje”, conclui.