Publicado em

Não resta dúvida que o celular será o grande motor dos futuros meios de pagamento no Brasil. Por meio dele, diversas tecnologias estarão à disposição do consumidor para pagar suas compras. Entre essas inovações que podem ser utilizada sem interação humana e que promete ganhar ainda mais espaço entre os brasileiros é o pagamento com QR Code. Em países asiáticos, esta tecnologia domina a forma como os cidadãos efetuam o pagamento de suas compras.

Ele é um código de barras bidimensional, que dispõe as informações de forma vertical. O QR Code permite que o usuário leia o código, por meio de aplicativos, e faça pagamentos. O cliente também pode ser direcionado para acessar sites e promoções exclusivas, por exemplo.

E o uso da tecnologia já começa a ganhar espaço. De acordo com uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo, cresceu de 4% para 24% o número de consumidores que utilizam apps de pagamentos em lojas físicas.

A quantidade de pessoas que fazem compras por meio de QR Codes também aumentou: em 2018 elas nem apareciam no ranking, agora já somam 17%.

Apesar do maior interesse dos consumidores em utilizar meios alternativos de pagamento, ainda são poucas as lojas físicas que ampliaram a forma de receber.

O estudo também mostrou que 27% dos estabelecimentos ouvidos aceitam pagamentos por meio de apps, mas não existe uma quantidade expressiva que aceite QR Code.

A falta de conhecimento ainda é o maior desafio para a popularização destas formas de pagamento alternativas, que podem ser desvinculadas a bancos. Entre os consumidores, não ter as ferramentas necessárias ou não confiar nelas são os motivos mais apontados para o não uso de apps e QR Code.

Lojistas testam

O mercado doméstico já registra diversas experiências de parcerias para difundir o uso da tecnologia. A fintech do Mercado Livre, Mercado Pago, por exemplo, firmou recentemente parceria com a RaiaDrogasil. Em dois meses, as 1.825 lojas da rede passam a oferecer o QR Code como opção de pagamento.

Já a Hub Fintech também já adiantou, sem abrir quem é o parceiro, que desenvolveu tecnologia integrada com uma grande rede de supermercados para pagamento com QR Code, a ser lançado no início do segundo semestre.

Liderança

Quem tem se destacado neste segmento é a RecargaPay. A empresa ultrapassou a marca de 10 milhões de clientes somente no Google Play, o que a torna a maior fintech do Brasil neste canal – uma base robusta e ativa. “Esse crescimento foi orgânico, no boca a boca mesmo. Quem gosta, recomenda”, esclarece Renato Camargo, CMO da RecargaPay.

“Agora, o crescimento é para fora, de forma consolidada e com proposta de valor clara”, complementa o executivo.

A estratégia adotada pela empresa para conquistar o público ser a única fintech do mercado que oferece os serviços sem nenhuma taxa e ainda dá cashback em todas as transações.

A fintech começou com recarga de celular e hoje oferece muito mais serviços, como: Zona Azul Digital, recarga de cartões de transporte em várias cidades, cartões de presente, pagamento de contas, pagamentos de estacionamento, transações entre consumidores (peer-to-peer), cartão pré-pago, vales-presentes e Uber.

“Nosso aplicativo gratuito, com uma das melhores classificações do mercado, tem mais de 10 milhões de carteiras virtuais e está simplificando a vida dos brasileiros eliminando as tradicionais burocracias e taxas extras, oferecendo oportunidade aos consumidores e aos pequenos e médios empresários, permitindo economia de tempo e dando acesso aos 55 milhões de brasileiros desbancarizados ao sistema financeiro”, esclarece o CMO da RecargaPay, Renato Camargo.