Publicado em

Para se alinhar a padrão internacional, o Banco Central (BC) alterou seu conceito de inadimplência, que passa a ser medido com base em operações de crédito com atraso superior a 90 dias. Outra mudança: operações das cooperativas de crédito serão agregadas ao volume global de crédito do sistema financeiro, com divulgação mensal pelo BC.

Técnicos do Departamento Econômico do Banco Central fizeram ontem uma breve apresentação de novos elementos introduzidos, para aprimoramento das informações sobre crédito no País. A questão da inadimplência é um exemplo. Na medição divulgada há quatro anos, o índice era calculado com base no volume de operações de crédito com atraso entre 15 e 90 dias.

A partir deste mês, os dados consolidados passarão a medir a inadimplência dos empréstimos bancários com atraso acima de 90 dias, além do volume financeiro equivalente às provisões para esses créditos duvidosos. As operações das cooperativas de crédito serão introduzidas no volume de crédito com recursos livres (não direcionados) do sistema financeiro. O que deve ampliar o volume global de crédito do País em R$ 9,3 bilhões.

Outra mudança é quanto ao crédito consignado, que o BC passará a informar com base em informações da totalidade dos bancos operadores. Desde janeiro de 2004, as informações divulgadas tinham por base 13 bancos, que representam 75% do total dos empréstimos com desconto em folha de pagamento.