Publicado em

XANGAI/SYDNEY - Os principais índices acionários chineses subiram mais de 1 por cento nesta quarta-feira, com o índice de Xangai atingindo a máxima em três meses, após dados melhores do que esperado sobre o comércio exterior da China oferecerem novos sinais de que a desaceleração econômica está se aproximando do fim.



As exportações da China cresceram 11,5 por cento em março na comparação com o mesmo período do ano anterior, o primeiro aumento desde junho e o maior desde fevereiro de 2015. As importações caíram 7,6 por cento, menos do que o esperado.



Os mercados do restante do continente também foram influenciados pelos dados chineses, com um importante índice acionário aproximando-se das máximas do ano.



Às 7:30 (horário de Brasília), o índice MSCI que reúne ações da região Ásia-Pacífico com exceção do Japão subia 1,72 por cento. O índice japonês Nikkei marcou a maior alta diária em seis semanas.



"Os últimos dados certamente sugerem que os níveis da atividade estão subindo e sem dúvida trarão mais otimismo aos investidores, particularmente à luz do avanço recente dos preços das commodities", disse o economista da gestora de fundos australiana CommSec Savanth Sebastian.



. Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 2,84 por cento, a 16.381 pontos.



. Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 3,19 por cento, a 21.158 pontos.



. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 1,44 por cento, a 3.067 pontos.



. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 1,33 por cento, a 3.261 pontos.



. Em SEUL, o índice KOSPI teve valorização de 0,56 por cento, a 1.981 pontos.



. Em TAIWAN, o índice TAIEX registrou alta de 1,42 por cento, a 8.652 pontos.



. Em CINGAPURA, o índice STRAITS TIMES valorizou-se 2,69 por cento, a 2.890 pontos.



. Em SYDNEY o índice S&P/ASX 200 avançou 1,59 por cento, a 5.054 pontos.



(Reportagem por Samuel Shen, Pete Sweeney e Wayne Cole)