Publicado em

A MasterCard , uma das principais bandeiras de cartão de crédito atuantes no Brasil, fechou acordos para embandeirar os private label (cartão de loja) das Casas Pernambucanas e do banco Panamericano . José Tosi, vice-presidente de desenvolvimento de negócios da empresa, ressalta que os acordos ainda são projetos piloto e que as empresas decidirão se manterão a parceria após o período de análise.

"Nosso projeto com o Panamericano é através do produto chamado Pan Ouro. O piloto iniciou em Campinas e acredito que dentro de três meses já tenhamos uma posição da financeira", afirma.

Para o vice-presidente, através das parcerias com redes varejistas e financeiras é possível aumentar a inclusão do segmento não bancarizado na utilização do cartão de crédito, já que ambos os setores lidam com um público de menor poder aquisitivo.

A empresa informou que possui 31 milhões de cartões de crédito e espera crescer no mesmo ritmo do mercado de cartões nos últimos anos - em torno de 20% a 25%. Dentre as instituições com as quais a MasterCard já atua no segmento de private label, estão a C&A - com 3,7 milhões de unidades - e a Fininvest .

Atualmente, a Casas Pernambucanas é uma das varejistas mais cobiçadas pelo mercado financeiro por não possuir bandeira em seus cartões de loja. Ao lado dela, estão as Lojas Renner (com 8,7 milhões de cartões), Lojas Riachuelo (com 10 milhões de plásticos) - que analisa parceria com Visa e MasterCard - e Lojas Marisa (com 3 milhões de cartões). A base de cartões de loja da Casas Pernambucanas é de, aproximadamente, 7 milhões.

Já o Panamericano possuía uma base de 8,2 milhões de cartões private label no final do ano passado, número 20,5% superior ao montante de 2004 - 6,8 milhões. De acordo com o último balanço financeiro da instituição, o segmento de cartões cresceu 24,5% ante 2004 e colaborou para os bons resultados do banco no ano passado.

Das grandes financeiras ligadas aos bancos, apenas Losango e Panamericano ainda não possuem bandeira em seus plásticos. Fininvest tem parceria com Visa e Mastercard e a Finasa fechou recentemente acordo com a Visa.

Tosi também confirmou que a MasterCard está conversando com a Losango para lançar um cartão de crédito, mas não revelou se a negociação já foi concluída. Atualmente, a Losango não possui cartão de crédito, mas espera encerrar este ano com 1 milhão de plásticos embandeirados e, posteriormente, oferecer o serviço a todos os clientes da financeira, que somam 18 milhões de correntistas.

O mercado de private label tem chamado a atenção das bandeiras há alguns anos. De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), o crescimento anual do setor gira em torno de 15%. Em dezembro passado, eram 99 milhões de plásticos da modalidade em circulação, e a expectativa da Associação é que esse número cresça para 112 milhões até o final deste ano.

A Visa também quer crescer nesse mercado. De acordo com Fernando Castejon, vice-presidente de negócios da Visa do Brasil, não só as grandes redes, mas as redes médias varejistas também são alvo da bandeira. "Enxergamos um potencial conservador de 3 milhões de cartões private label disponíveis para o embandeiramento este ano e é nele que pretendemos trabalhar", diz o executivo.

Com a C&A, por exemplo, foram emitidos cerca de 2 milhões de cartões bandeira Visa. "Outra ação que podemos destacar é a parceria com as Casas Bahia feita pelo Bradesco no final do ano passado. Cerca de 2 mil plásticos foram emitidos por dia, na Super Casas Bahia . Como resultado, 70% das compras realizadas no evento utilizaram o cartão de crédito como meio de pagamento", destaca Castejon.

Procurada pela reportagem do DCI, a Casas Pernambucanas não quis se pronunciar.

Leia mais na página B-14