Publicado em

SÃO PAULO

A Cetip Trader, plataforma eletrônica de negociação de ativos de renda fixa da Cetip, começa a operar hoje. A ferramenta foi criada em parceria com a Intercontinental Exchange (ICE), uma das maiores bolsas de futuros e de derivativos de balcão do mundo.

A novidade vai proporcionar o crescimento dos negócios com ativos de renda fixa, como debêntures, no mercado secundário. Em um único ambiente, estão reunidos os serviços de pré-registro, negociação eletrônica e consulta a negócios e preços. Segundo Carlos Ratto, diretor-executivo-comercial, de produtos, marketing e comunicação da empresa, o Cetip Trader está 100% formatado para o mercado brasileiro e já foi amplamente testado nos últimos meses por cerca de oitenta instituições que realizaram mais de 100 mil negócios em testes.

"A nova plataforma de negócios reforça o comprometimento da Cetip em desenvolver um mercado secundário de renda fixa eficiente e transparente, respeitando e evoluindo as práticas do nosso mercado de balcão."

Ricardo Vit, gerente de produtos transacionais, explica que a Cetip inova em sua solução trazendo para o front-office uma linguagem mais dinâmica e intuitiva. "O operador busca facilidade, numa ferramenta que trabalhe pra ele e o auxilie a realizar mais negócios."

Já o vice-presidente sênior e diretor-estratégico da ICE, Dave Goone, reforça a importância da customização da plataforma. "Tivemos o prazer de trabalhar com Cetip para construir um produto adequado às necessidades do mercado brasileiro, disponível em Português, e que oferece uma solução completa de negociação de títulos públicos e privados".

A plataforma disponibiliza aos usuários seis funcionalidades distintas. Entre elas se destaca o Cetip Voice, que viabiliza a confirmação de negócios cursados por telefone.

Em um ambiente seguro, o operador valida a operação fechada por voz, aumentando a transparência de preços disponibilizados ao mercado e integrando os dados aos sistemas de pós-trade.

Está sendo lançado também o primeiro módulo da plataforma de integração pós-trade, o ICE-Link. Além da maior facilidade de acesso e execução de negócios, a solução visa também uma maior mitigação de riscos operacionais e redução de custo total no ciclo de uma operação.