Publicado em

Com a ambiciosa meta de crescer 33% e faturar R$ 100 milhões este ano, a empresa de tecnologia Accesstage manterá forte a atenção ao fomento de negócios inovadores por meio de apoio a startups.

Com o foco em integração de soluções e serviços dentro do universo da tecnologia, a empresa investiu, só no ano passado, R$ 50 milhões em empresas iniciantes como a Trustion, Movats, Negocie Online, Moneto, IN10 e CyberBlock. Como resultado, a empresa conseguiu encerrar 2018 com um faturamento de R$ 75 milhões, um incremento de 32% sobre um ano antes.

Para este ano, presidente da companhia, Celso Sato afirma que a empresa segue em busca de boas oportunidades, com destaque para empresas que atuem em ramos como meios de pagamentos, varejo e fintechs. “Queremos startups que tenham sinergia com o nosso negócio e que possam crescer com a nossa estrutura”, disse ele, ressaltando que “a revolução 4.0 já não faz parte do amanhã, mas de hoje.”

A projeção para atingir R$ 100 milhões em 2019 já havia sido traçada desde 2015, logo após o crescimento da companhia a partir das unidades de Recife (que atua por todo o Nordeste) Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Goiânia e Porto Alegre (que atua por toda a região Sul), que possibilitou a ampliação da base de clientes e o atendimento com excelência a empresas de todo o país.

Segundo o executivo, hoje a receita das filiais está em torno de 10% do faturamento total da companhia, contando com mais de 350 clientes da base. “Queremos ser uma empresa de soluções digitais, multisserviço, multibanco e multiadquirente, com completa gama de soluções que transformem o dia a dia das empresas clientes”, diz Sato.

Dentro dessa missão de disrupção e busca por soluções assertivas foi que a empresa começou a investir em startups em 2018. “As startups e fintechs são empresas jovens, com poucos recursos, mas muito inovadoras. Estamos aqui dispostos a manter essa sinergia de crescimento que fomenta o empreendedorismo e a transformação digital nas empresas, por isso estamos constantemente atentos às novas oportunidades do mercado”, completa o executivo.

Com isso, Sato lembra que os resultados da companhia ano passado foram mais fortes que previsto inicialmente, quando era esperado faturamento de R$ 70 milhões. “Fechamos a temporada superando as expectativas. Iniciamos janeiro de 2018 com 280 funcionários e encerramos dezembro com cerca de 400 colaboradores no grupo”, diz Sato.