Publicado em

A Azul espera em 2019 adicionar 21 aeronaves de última geração da famílias E2 da Embraer e A320neo da Airbus, segundo fato relevante divulgado nesta quarta-feira (06) pela companhia.

O número representa aumento de nove aeronaves em relação ao plano original da empresa. Com a aceleração do programa, a estimativa de novos A320neo na frota neste ano passa de 27 para 32 aeronaves. Já a de jatos da família E2 passou de duas para seis aeronaves, destacou a companhia aérea.

Com a aceleração da estratégia de substituição da frota, que visa aeronaves maiores, também serão retirados de circulação 15 Embraer E195 da família E1, sete a mais do que o anunciado anteriormente pela Azul.

A decisão da companhia acontece um dia após o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciar um corte no ICMS sobre o querosene de aviação (QAV), que será reduzido de 25% para 12% para fomentar o turismo dentro do Estado de São Paulo.

Custo

Com a decisão, a Azul espera atingir um aumento de 18% no total de assentos-quilômetros oferecidos (ASKs) e de 5% no número de partidas.

Em nota, o CEO da Azul, John Rodgerson, ressaltou que o custo por assento do A320neo é 29% menor e o Embraer E2 fornece uma redução de 26% neste indicador comparado às aeronaves atuais. Até o final de 2019, 40% da capacidade da Azul deve ser oferecida em aeronaves de última geração. “Os assentos adicionais oferecem aos passageiros maior conectividade e mais opções de resgate de pontos para nossos clientes TudoAzul”, acrescentou o executivo no comunicado.