Publicado em

A Petrobras informou na última sexta-feira (16) o início da fase vinculante do processo para a venda da participação de 93,7% na Breitener Energética, que opera duas termelétricas em Manaus.

Segundo a empresa, os habilitados para essa fase receberão carta-convite com instruções sobre processo de desinvestimento, incluindo orientações para realização de due diligence e para o envio de propostas vinculantes.

As usinas da Breitener totalizam 315 MW em capacidade instalada e possuem capacidade contratada de 120 MW até 2025 com a Amazonas Energia, distribuidora do Amazonas, por meio de contrato exclusivo de compra e venda de energia (Power Purchase Agreement). A Petrobras iniciou o processo para venda do ativo em maio, como parte de seu programa de desinvestimentos.

Privatização

O governo de Minas Gerais está preparando um projeto sobre a privatização de ativos estaduais que deve incluir a elétrica estatal Cemig e pode ser enviado à Assembleia Legislativa nesta semana, ou o mais tardar até o final do mês, disse na sexta-feira o presidente da companhia mineira de energia, Cledorvino Belini.

“O governo deve apresentar agora... vai ser um processo político de negociação do governo com a Assembleia, então é difícil fazer uma previsão, mas acredito que esteja completo, aprovado, até o final deste ano”, disse o executivo a jornalistas durante coletiva de imprensa em São Paulo.

O projeto do governo mineiro deve envolver também outros ativos que podem ser privatizados nas negociações com a União sobre regime de recuperação fiscal para o Estado. “É um plano de desinvestimentos do Estado, onde estará Cemig, Copasa e outras estatais... a privatização da Cemig é uma das condições do Tesouro para liberar recursos e dar um perdão da dívida do Estado com a União”, explicou Belini.