Publicado em

Atualizado em

(Matéria alterada para correção de informação. O sócio diretor da GS&Consult é Alexandre Machado e não van Beeck, como informado anteriormente. Segue a íntegra corrigida)

Após apresentar crescimento corroído pela inflação nos últimos anos, o setor de supermercados registra avanço real de 2,95% nas vendas de janeiro sobre um ano antes. Com a perspectiva de melhora no volume comercializado nos períodos de maior apelo sazonal, os varejistas esperam alta real de 3% em 2019.

“Janeiro é um mês de férias e muitas pessoas acabam ficando mais tempo em casa, o que contribui para um aumento no consumo. Em algumas redes, a compra de material escolar é outro fator que auxilia no crescimento das vendas. Sabemos que a volta do consumo será gradual, mas estamos confiantes para os próximos meses, e o resultado de janeiro é um bom sinal”, argumentou o presidente da ABRAS, João Sanzovo Neto

Segundo o balanço realizado pela entidade, o acumulado do ano até o mês de janeiro de 2019 também apresentou incremento de 2,95% nas vendas. No que diz respeito à comparação mensal, houve retração de 22,07% no volume comercializado – saldo gerado principalmente pelos efeitos sazonais do Natal e Ano Novo.

Para o sócio diretor da GS&Consult, Alexandre van Beeck, o desempenho do setor de supermercados se sustentará em parte pela “força” de datas comemorativas no varejo e dos formatos de loja de atacarejo, os quais ganharam projeção no período de crise econômica. “Por conta das férias, o consumo naturalmente tende a ficar maior nessa época. Além disso, acredito que as grandes redes supermercadistas, como GPA e Carrefour, estão focando ainda muito no formato de atacarejo, com um movimento de expansão intenso”, afirmou Machado. Ainda de acordo com ele, em virtude da crise econômica, muitos consumidores devem manter seus hábitos de compra e optar pelo formato em algumas ocasiões. “Uma grande massa de consumidores ainda está um pouco com o pé atrás em determinadas categorias de produtos”, declarou ele.

Na mesma perspectiva de raciocínio, o superintendente da Abras, Marcio Milan, diz que o atacarejo deve ser o carro-chefe no processo de retomada do setor supermercadista. “Acreditamos em um cenário de otimismo para o ano de 2019, se olharmos para a taxa de crescimento de 2,95% apresentada em janeiro, percebemos um número superior ao verificado nos últimos dois anos. Nesse sentido, as principais marcas do varejo têm como uma das prioridade o plano de expansão tanto das redes de atacarejos assim como as bandeiras regionais”, declarou o dirigente.

 

 

Mais recursos

Para o sócio-fundador da consultoria empresarial Goakira, José Fugice, o resultado direto desse aumento no fluxo de consumidores nos supermercados em 2019 poderá ser verificado no nível de aporte das redes em suas estruturas. “Em virtude desse reaquecimento gradual de mercado, podemos observar neste ano maiores investimento na ampliação de lojas, abertura de novas unidades e também contratação de funcionários”, argumentou ele.

Ainda segundo ele, o consumidor está procurando neste momento equalizar os gastos entre os produtos de necessidade básica e aqueles considerados como supérfluos.