Publicado em

A BRF está pronta para ampliar a produção de carne suína no Brasil, à medida que um surto de peste suína africana gera forte demanda por importações da proteína na China, país mais afetado pela crise sanitária. Lorival Luz, presidente-executivo da BRF, disse que a empresa responde por 28% de um fornecimento estimado de cerca de 4 milhões de toneladas de suínos por ano no Brasil, mas não estimou quanto poderá ser ampliado pela companhia. / Reuters

Falando durante um evento do setor em São Paulo, Luz alertou que qualquer iniciativa para aumentar a produção deve ser cuidadosamente ponderada e implementada, porque o surto causou um desequilíbrio de oferta que é apenas momentâneo e será gradualmente corrigido. "Para ter produção efetivamente maior de suínos pode levar dois anos, e neste momento poderíamos ter um excesso de oferta", disse ele no evento, referindo-se à duração do ciclo de produção desse tipo de carne. / Reuters

Por conta do surto, as importações de carne suína pela China devem avançar de 2,1 milhões de toneladas em 2018 a 3,3 milhões em 2019 e 4,2 milhões de toneladas em 2020, disse na segunda-feira a consultoria INTL FCStone. Luz afirmou que "torce" para que os países controlem o surto, que causou um recuo 29% nos estoques de suínos da China nos últimos 12 meses./ Reuters