Publicado em

A Vale anunciou aporte de R$ 1,8 bilhão adicionais até 2023 para um pacote de obras em Brumadinho (MG), onde a barragem da mina Córrego do Feijão se rompeu em janeiro deixando centenas de mortos, em orçamento que inclui recursos para recuperar o meio ambiente, reconstruir equipamentos públicos e garantir a segurança das estruturas remanescentes.

A afirmação foi feita pelo diretor de diretor de Reparação e Desenvolvimento da empresa, Marcelo Klein, em coletiva de imprensa nesta quarta-feira para apresentar as medidas que vêm sendo tomadas pela Vale após o desastre. O montante, o equivalente a US$ 450 milhões, soma-se a 4,5 bilhões de dólares provisionados anteriormente pela Vale devido à tragédia de Brumadinho. O montante provisionado não contemplava área ambiental.

A empresa disse em nota em separado que está avaliando eventuais obrigações e compensações adicionais, dentre as quais as ambientais, que serão provisionadas no resultado de segundo trimestre de 2019, em conjunto com os valores anunciados nesta quarta-feira.

Mas Klein afirmou que, com o aporte, a Vale prevê já ter divulgado a maior parte dos recursos que precisarão ser empenhados como consequência do desastre. O rompimento da barragem de Brumadinho liberou mais de 11 milhões de metros cúbicos de rejeitos em mata, comunidades e rios da região, incluindo o Paraopeba.

Acordo

Audiência de ação que pede R$ 40 milhões pela morte de vítimas que estavam em pousada em Brumadinho (MG) terminou sem acordo nesta terça-feira, 25, no fórum da cidade. A ação é movida pela família Taliberti.