Publicado em

As exportações brasileiras de carne suína (considerando in natura e processados) foram a 63,6 mil toneladas em junho, alta de 81% sobre um ano antes, informou ontem (11) a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

No mesmo período de 2018 foram exportadas 35 mil toneladas. No total, os embarques geraram divisas da ordem de US$ 137,7 milhões, saldo 111,9% superior em relação ao registrado no mesmo mês de 2018, com US$ 64,9 milhões. “O preço médio das exportações em junho apresentou elevações tanto na comparação com o mesmo período do ano passado, quanto em relação à maio. O mercado internacional aumentou a demanda por produtos, o que tem pressionado os preços médios da carne suína”, analisa Francisco Turra, presidente da ABPA.

Na soma do ano, as exportações de carne suína totalizaram 346,6 mil toneladas, volume que supera em 24,5% o total embarcado no primeiro semestre de 2018. Em receita, o saldo semestral chegou a US$ 699,7 milhões, 23,4% mais que o visto em 2018, a US$ 567,2 milhões.

Principal destino das exportações em 2019 (com 26,7% do total), a China elevou em 30,7% as compras no período (91,2 mil toneladas no semestre). No mesmo período, a Rússia importou 26,1 mil toneladas (7,6% do total) – no mesmo período de 2018, as exportações estavam suspensas. Na América do Sul, Uruguai e Chile compraram 21,2 mil toneladas (+17%) e 21 mil toneladas (+45%). “A média mensal das exportações são superiores às registradas em 2018 e equivalentes às médias de 2016, quando embarques superaram 700 mil toneladas no ano”, diz o diretor-executivo da ABPA, Ricardo Santin.