Publicado em

São Paulo - A Smartmotion, que opera na área de cidades inteligentes, está expandindo os negócios em estacionamentos públicos e privados. A empresa desenvolve e fabrica soluções completas para sinalização de vagas e, para 2017, projeta crescimento de 30%.

"Com a frota atual de veículos no Brasil, a busca por estacionamentos inteligentes vai crescer cada vez mais", afirma o fundador da Smartmotion, Paulo Lourador.

O sistema de monitoramento de vagas instalado pela companhia avisa quantas estão disponíveis e sinaliza quais são. "Isso reduz em 80% o tempo de procura e diminui drasticamente os níveis de emissões no local."

A Smartmotion já atendeu mais de 80 shoppings no País e só neste mês está em negociações com outros quatro. "Nos contratos privados, o faturamento gira em torno de R$ 350 a R$ 400 por vaga", conta Lourador. Para este ano, a empresa projeta assumir cerca de 15 mil novas vagas, crescimento de 87% sobre 2016.

Além disso, a Smartmotion também está negociando com prefeituras para instalar sistemas de zona azul, em moldes semelhantes ao projeto já implantado em Águas de São Pedro (SP). "Fornecemos não só os dispositivos, mas também a central de monitoramento e um aplicativo que monitora, em tempo real, quais as vagas disponíveis próximas ao local de interesse", explica.

Lourador revela que uma parceria público-privada (PPP) já foi fechada com a prefeitura do Rio de Janeiro (RJ) para instalar o sistema. "Com isso, a estimativa é reduzir em até 25% o tráfego da cidade."

Produção

A Smartmotion também atua em iluminação pública e, segundo Lourador, pode elevar a qualquer momento a produção de dispositivos na fábrica que a empresa possui parceria no bairro de Interlagos, em São Paulo. "Todos os insumos são comprados no Brasil", garante.

Ele acrescenta que a companhia já está expandindo a atuação na América Latina e, até o final do ano, deve chegar aos Estados Unidos. "Devemos implantar ao menos cinco mil vagas na Flórida em 2017."

O executivo afirma que, apesar da crise, o potencial do mercado brasileiro é imenso. "A instabilidade política assusta, mas o Brasil é um dos países que mais tem potencial para crescer, ainda mais na área de cidades inteligentes", avalia.