Publicado em

O ano de 2007 começou com a proibição definitiva de importação pelo Brasil do gás clorofluorcarbono, conhecido como CFC, e do uso do herbicida brometo de metila - a medida está em vigor desde o dia primeiro. Ambos destroem a camada de ozônio e o herbicida também é cancerígeno. Cotas progressivas para reduzir a importação de CFC já haviam sido estabelecidas pelo Brasil, que não produz o gás há algum tempo. Os países do Protocolo de Montreal, como o Brasil, assumiram compromisso de eliminar a produção da substância em todo o mundo até 2010. Atualmente, o CFC é usado principalmente em geladeiras e aparelhos de ar-condicionado antigos - os produtos que saem de fábrica desde 2000 não usam mais.

A intenção é que esse volume de gás que ainda circula no mercado também seja progressivamente recolhido. Segundo o diretor do Programa de Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, Ruy de Góes, cerca de 40 milhões de geladeiras ainda funcionam à base de CFC. Continua sendo permitido o uso do gás nos chamados casos de uso essencial, como em bombinhas usadas no tratamento de asma. Mas pesquisas estão sendo feitas para encontrar um método alternativo. Comissão formada pelos ministérios do Meio Ambiente e da Agricultura está desenvolvendo um substituto ao CFC.