Publicado em

FUNAFUTI, Tuvalu (Reuters) - Ilhas pequenas do Oceano Pacífico que estão ameaçadas pela elevação do nível dos mares criticaram a Austrália nesta sexta-feira depois que o país bloqueou medidas em um fórum regional para a adoção de políticas severas de combate à mudança climática.

Líderes de 18 países presentes no Fórum das Ilhas do Pacífico concluíram sua reunião em Funafuti, capital de Tuvalu, na quinta-feira com um comunicado que careceu de qualquer comprometimento com as diretrizes que endossou.

O documento final incentivou políticas para limitar a elevação das temperaturas a não mais de 1,5 grau Celsius acima dos níveis pré-industriais e pediu o fim imediato da mineração de carvão. Mas também disse que seus Estados-membros podem ignorar qualquer medida à qual se oponham.

"Nós nos reunimos em uma nação que corre o risco de desaparecer no mar, mas infelizmente nos resignamos ao status quo em nosso comunicado", disse o primeiro-ministro de Fiji, Frank Bainimarama, no Twitter.

"Uma linguagem climática insípida tem consequências reais – como casas, escolas, comunidades e cemitérios ancestrais inundados."

Incapaz de obter um consenso, a nação-sede Tuvalu deixou claro que o premiê da Austrália, Scott Morrison, cujo apoio firme a uma nova mina de carvão polêmica foi crucial para sua vitória eleitoral recente, foi um elemento central da disputa.

"Eu disse ao primeiro-ministro australiano: 'você está preocupado com sua economia, eu estou preocupado com o futuro do meu povo'", disse o premiê de Tuvalu, Enele Sopoaga, aos repórteres.

(Por Colin Packham)