Publicado em

HAVANA (Reuters) - O bloco composto por países com governos de esquerda ALBA, pediu nesta terça-feira que os Estados Unidos coloquem fim ao que classifica como uma "ameaça militar" contra a Venezuela, no momento em que o país exportador de petróleo atravessa uma profunda crise econômica e política. 

A Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América (ALBA), um grupo de colaboração internacional fundado em 2004, enfrenta novos desafios depois da guinada à direita da maioria dos países da América Latina e do Caribe. 

"Daqui de Havana fazemos um chamado aos Estados Unidos pela diplomacia, pelo diálogo, pelo entendimento, para que termine a ameaça militar, o bloqueio contra a Venezuela", disse o chanceler venezuelano, Jorge Arreaza, na abertura do encontro. 

Washington aplicou uma série de sanções contra a Venezuela, incluindo às suas autoridades, bancos e setor energético, buscando asfixiar o governo socialista do presidente Nicolás Maduro e seu principal aliado, Cuba. 

Os Estados Unidos apoiam o líder de oposição venezuelano Juan Guaidó, que em janeiro se auto-proclamou presidente interino do país afirmando que a reeleição de Maduro foi resultante de eleições fraudulentas.

A ALBA é formada por Bolívia, Nicarágua, Cuba, Venezuela e por outras pequenas nações caribenhas. 

(Reportagem de Nelson Acosta)