Publicado em

O Ministério de Comércio da China expressou satisfação nesta quinta-feira com a decisão do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de adiar um aumento de tarifas sobre algumas importações chinesas, antes de equipes de médio escalão realizarem uma reunião preparatória para a próxima rodada de negociações bilaterais, prevista para outubro.

O porta-voz do ministério, Gao Feng, disse que empresas chinesas começaram a fazer levantamentos de preços de bens agrícolas americanos. Pequim suspendeu as compras desses produtos em agosto, quando a relação comercial entre os dois países sofreu forte deterioração. Os levantamentos de preços, que podem levar os chineses a retomar as compras de produtos agrícolas dos EUA, incluem itens como soja e carne suína.

Segundo Gao, que falou durante coletiva de imprensa semanal, a possível retomada de compras de bens agrícolas pela China não é "uma moeda de troca" nas discussões comerciais.

Ontem à noite, Trump tuitou que irá adiar a aplicação de tarifas adicionais a cerca de US$ 250 bilhões em produtos chineses em duas semanas, de 1º para 15 de outubro. Ele disse que a iniciativa foi um "gesto de boa vontade", que atendeu um pedido do vice-primeiro-ministro chinês Liu He, uma vez que 1º de outubro marca o 70º aniversário da fundação da República Popular da China.

O anúncio de Trump veio horas depois de a China decidir isentar 16 tipos de produtos dos EUA de tarifas extras por um ano, a partir do dia 17. Fonte: Dow Jones Newswires.