Publicado em

BOGOTÁ (Reuters) - O grupo paramilitar Clã do Golfo, considerada a maior organização criminosa da Colômbia, declarou um cessar-fogo de um mês para o Natal e o Ano Novo e convidou outros grupos armados a também deporem as armas durante as festividades.

A gangue, também conhecida como Clã Usuga e Autodefesas Gaitanistas, é acusada de operar rotas do narcotráfico em parceria com carteis mexicanos e de realizar extorsões e mineração de ouro ilegal. O combate ao grupo é considerado um dos principais desafios de segurança do país.

"Declaramos um cessar-fogo unilateral de ações militares ofensivas nacionalmente em todas as áreas onde estamos presentes entre 8 de dezembro e 10 de janeiro de 2019", disse o grupo em um comunicado publicado em seu site no domingo.

"Convidamos todos os grupos armados que são parte do conflito a adotarem uma posição semelhante à nossa, sempre com o objetivo de contribuir para a causa da paz", disse.

Já é uma tradição os grupos armados da Colômbia declararem tréguas em feriados e períodos de eleição. Hoje desmobilizados, os rebeldes marxistas das antigas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) costumavam suspender ofensivas armadas no Natal.

(Por Luis Jaime Acosta)