Publicado em

(Reuters) - Separatistas do sul do Iêmen assumiram o controle efetivo de Aden, sede do governo internacionalmente reconhecido, rachando a coalizão liderada pela Arábia Saudita que combate o movimento houthi, alinhado com o Irã, no país.

Em uma ação que complica os esforços da Organização das Nações Unidas (ONU) para acabar com uma guerra de quatro anos, os separatistas tomaram o controle dos campos militares do governo na cidade portuária do sul no sábado, disseram autoridades.

Um comandante militar separatista disse que eles também tomaram o palácio presidencial, mas vazio. Mais tarde, uma autoridade da ala política do movimento disse que uma tentativa de tomar o palácio ainda estava em andamento.

"O que está acontecendo na capital temporária (do governo) de Aden pelo Conselho de Transição do Sul é um golpe contra instituições do governo internacionalmente reconhecido", disse o Ministério das Relações Exteriores em um post no Twitter.

Embora tenham uma agenda rival a do governo do presidente Abd-Rabbu Mansour Hadi sobre o futuro do Iêmen, os separatistas têm sido parte da coalizão governista saudita que luta contra os houthis desde março de 2015.

A guerra já matou dezenas de milhares de pessoas e levou o mais pobre país da Península Arábica à beira da fome.

Quatro dias de confrontos entre os separatistas e as forças do governo mataram pelo menos nove civis e mais de 20 combatentes, segundo fontes médicas. Os combates, que prenderam civis em suas casas com suprimentos de água cada vez menores, recomeçaram na madrugada de sábado, mas desde então diminuíram.

"Está tudo acabado, as forças do Conselho de Transição do Sul estão no controle de todos os campos militares", disse à Reuters uma autoridade do governo de Hadi.

O comandante separatista, falando em uma mensagem de vídeo circulada pelos partidários do movimento, disse que suas forças não encontraram resistência no palácio, localizado no distrito predominantemente residencial de Crater. A autoridade do conselho disse à Reuters que os guardas do palácio concordaram em entregar o prédio, mas que as forças de Hadi ainda não tinham saído.

Os separatistas tomaram a casa do ministro do Interior mais cedo, depois que ele foi retirado pelas forças da coalizão, disseram autoridades. O presidente Hadi está na capital saudita, Riad.

Não houve comentários da coalizão sunita apoiada pelo Ocidente e liderada pela Arábia Saudita, que interveio depois que os houthis derrubaram Hadi do poder na capital Sanaa no final de 2014.