Publicado em

MADRI (Reuters) - A Espanha fechará temporariamente o mausoléu em que Francisco Franco está enterrado a partir deste sábado para evitar qualquer distúrbio, já que as autoridades se preparam para exumar os restos mortais do ditador.

Há tempos os socialistas que governam o país querem remover os restos de Franco e transformar o complexo do Vale dos Caídos, próximo da capital Madrid, em um memorial para as 500 mil pessoas que foram mortas durante a guerra civil de 1936-39.

    Um conselho de ministros aprovou os detalhes da operação nesta sexta-feira, tendo recebido o sinal verde da Suprema Corte espanhola em setembro.

    O mausoléu também abriga os corpos de 34 mil espanhóis que morreram durante a guerra, incluindo muitos do lado republicano derrotado cujos corpos foram transferidos para o local durante o governo Franco sem a permissão dos familiares.

    Uma fonte do governo disse que o mausoléu vai ser fechado temporariamente devido ao temor de que tanto simpatizantes de Franco quanto manifestantes se reúnam no local, que só tem uma entrada.

    "Queremos a maior segurança técnica possível e o menor distúrbio possível para nossos cidadãos", disse a vice-primeira-ministra interina, Cármen Calvo, em uma coletiva de imprensa nesta sexta-feira.

    A localização da tumba de Franco continua a dividir a opinião espanhola – 43% são a favor da mudança e 32,5% são contra, de acordo com uma pesquisa publicada pelo El Mundo na segunda-feira.        

    Calvo disse que a exumação deve ocorrer até o dia 25 de outubro, mas uma segunda fonte governamental disse que provavelmente ela acontecerá entre os dias 18 e 22 de outubro.

    (Por Belén Carreño e Clara-Laeila Laudette)