Publicado em

Por Phil Stewart e Idrees Ali

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos acreditam que o ataque de sábado a instalações petrolíferas da Arábia Saudita partiu do sudoeste do Irã, disse uma autoridade norte-americana à Reuters nesta terça-feira.

Três autoridades que conversaram com a Reuters pedindo anonimato disseram que o ataque envolveu mísseis de cruzeiro e drones, indicando que a ação teve um grau de complexidade e sofisticação maior do que se pensou inicialmente.

As três fontes não forneceram indícios nem explicaram qual agência de inteligência norte-americana usaram para fazer tais avaliações. Mas tal informação, se pudesse ser levada a público, poderia aumentar a pressão para que EUA, Arábia Saudita e outros reajam.

Uma das três autoridades expressou a crença de que a coleta saudita de materiais após os ataques proporcionará "indícios forenses convincentes... que apontarão de onde esse ataque veio".

Uma equipe norte-americana está ajudando a Arábia Saudita a avaliar indícios do ataque, que foi reivindicado por rebeldes houthi que combatem uma coalizão de liderança saudita no Iêmen.

O Irã nega qualquer papel no ataque à maior usina de processamento de petróleo cru do mundo, que interrompeu metade da produção petrolífera do reino.

As relações entre Teerã e Washington se deterioraram depois que o presidente Donald Trump retirou seu país do acordo nuclear com o Irã no ano passado e reativou sanções contra suas exportações de petróleo.