Publicado em

Por Andrew Downie

SÃO PAULO (Reuters) - Lionel Messi foi expulso antes do intervalo e, bravo, criticou organizadores “corruptos” do torneio depois que a Argentina venceu o Chile por 2 x 1 na disputa pelo terceiro lugar da Copa América, no sábado. 

O relógio marcava 34 minutos quando o capitão chileno Gary Medel protegeu uma bola que saiu pela linha de fundo de sua própria grande área. Messi dividiu com ele, por trás, e Medel reagiu empurrando o argentino e levantando suas mãos.

O árbitro paraguaio mostrou cartão vermelho a Medel e, apesar de Messi não ter reagido, ele também foi expulso, motivando vaias na Arena Corinthians, em São Paulo.

Relatos dizem que o atacante do Barcelona não compareceu à cerimônia para receber sua medalha de terceiro lugar, e ele posteriormente criticou a (Conmebol).

“Não precisamos fazer parte desta corrupção”, disse Messi a repórteres. “A falta e respeito que eles nos mostraram ao longo do torneio”.

“Infelizmente, a corrupção, os árbitros, eles não permitem que as pessoas aproveitem o futebol. Eles o arruinaram um pouco."

“Eu acho que o torneio está armado para o Brasil”, acrescentou Messi. “Espero que o VAR e os árbitros não tenham nada a ver com a final, e que o Peru consigo competir porque tem o time para fazer isso, mas acho que será difícil”. 

A frustração de Messi foi evidente na zona mista depois do que foi apenas o segundo cartão vermelho da sua carreira. 

“Você viu o que aconteceu”, disse a repórteres. “Um amarelo teria encerrado o caso para nós dois. O importante é que, com 10 jogadores, o time terminou bem e venceu”. 

Sergio Agüero fez 1 x 0 pra Argentina, aos 12 minutos, e Paulo Dybala ampliou, 10 minutos depois, com uma bela finalização, após passe de Giovani Lo Celso. 

Arturo Vidal descontou para o Chile, de pênalti, aos 14 minutos do segundo tempo.