Publicado em

Por Maria Tsvetkova

MOSCOU (Reuters) - A Rússia pediu nesta segunda-feira aos países do Oriente Médio e de fora da região que não tirem "conclusões precipitadas" sobre quem realizou os ataques a instalações petrolíferas da Arábia Saudita.

Uma importante autoridade do governo norte-americano disse no domingo que as evidências do ataque, que atingiu a maior instalação de processamento de petróleo do mundo, indicaram que o Irã está por trás da ação, em vez do grupo iemenita houthi que assumiu a responsabilidade.

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse no domingo que os Estados Unidos estão preparados para uma possível resposta ao ataque às instalações de petróleo da Arábia Saudita.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, questionado sobre a declaração dos EUA, disse: "Temos uma atitude negativa em relação ao aumento das tensões na região e pedimos a todos os países da região e de fora dela que evitem medidas ou conclusões precipitadas que possam aprofundar a desestabilização".

Em comunicado separado na segunda-feira, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia disse acreditar que a troca de ataques contra alvos civis era "uma consequência direta da forte crise política e militar no Iêmen".

"Acreditamos que é contraproducente usar o que aconteceu para aumentar as tensões em torno do Irã, em consonância com a bem conhecida política dos EUA", afirmou o Ministério das Relações Exteriores.

"Propostas de ações retaliatórias difíceis, que parecem ter sido discutidas em Washington, são ainda mais inaceitáveis".

(Reportagem de Maria Tsvetkova)