Publicado em

SANTIAGO (Reuters) - A Suprema Corte do Chile cancelou nesta quinta-feira uma proposta de acordo comercial entre Latam Airlines, American Airlines, British Airways e Iberia Airlines.

A decisão chega mais de dois anos após as empresas anunciarem seus planos, o que na época era visto como um movimento ousado para reduzir custos e coordenar preços, mas também levantou preocupações antitruste.

As ações da Latam caíram cerca de 0,6%, em linha com o índice de referência chileno mais amplo.

A decisão no Chile também pode significar problemas para um grupo separado de concorrentes de companhias aéreas, que anunciaram um contrato semelhante para enfrentar a aliança da Latam.

No final do ano passado, United Airlines, Avianca e Copa Airlines anunciaram um acordo comercial para compartilhar rotas na América Latina. Esse acordo também está aguardando aprovação regulatória, mas num estágio muito anterior.

A Latam não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

O grupo chileno de defesa do consumidor Conadecus recorreu da aprovação regulatória inicial em outubro devido a preocupações de que poderia aumentar preços de passagens e diminuir a qualidade dos serviços nas rotas.

Autoridades do Uruguai, Colômbia e Brasil aprovaram o acordo no ano passado.

(Por Erik Lopez)