Publicado em

Por Jeff Mason

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quarta-feira que está analisando cinco pessoas altamente qualificadas para escolher um substituto para John Bolton como assessor de Segurança Nacional.

Falando a repórteres na Casa Branca, Trump disse que Bolton, que ele demitiu abruptamente na terça-feira, cometeu alguns erros, como ofender o líder norte-coreano, Kim Jong Un, ao exigir que ele siga um "modelo líbio" e entregue todas as suas armas nucleares.

    Trump disse que há muitas pessoas interessadas no cargo de Bolton.

"Há cinco pessoas que eu considero muito altamente qualificadas", disse, sem dar os nomes. "Vamos anunciar alguém na próxima semana, mas temos algumas pessoas altamente qualificadas."

Ele disse que se deu bem com Bolton e que espera que tenham se separado em bons termos, mas acrescentou que o ex-conselheiro saiu da linha no tocante à Venezuela, que vem sendo um dos maiores desafios de política externa de seu governo.

    Embora os dois estivessem essencialmente em sintonia quanto à necessidade de afastar o presidente venezuelano, Nicolás Maduro, Trump se tornou cada vez mais impaciente com o fracasso de uma campanha de sanções e diplomacia liderada pelos EUA para retirar o líder socialista. Trump não quis dizer se se encontraria com Maduro.

    Ele foi indagado se cogitaria amenizar as sanções contra o Irã para conseguir uma reunião com seu presidente, Hassan Rouhani, na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) neste mês, e respondeu: "Veremos o que acontece."

    Entre os nomes ventilados para suceder Bolton estão Stephen Biegun, enviado especial dos EUA para a Coreia do Norte; Richard Grenell, embaixador norte-americano na Alemanha; o negociador de reféns Robert O’Brien e o vice-secretário de Estado, John Sullivan.

    (Reportagem de Jeff Mason, David Brunnstrom e Matt Spetalnick)