Publicado em

WASHINGTON (Reuters) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta segunda-feira que a Rússia informou aos EUA ter retirado a maioria de seu pessoal da Venezuela, com quem Moscou mantém laços militares e econômicos com o presidente socialista Nicolás Maduro.

O governo Trump, que apoia o líder da oposição Juan Guaidó como o presidente interino legítimo da Venezuela, insistiu que o apoio russo e cubano a Maduro tem sido essencial para mantê-lo no poder e pediu para que Rússia e Cuba retirassem equipes de segurança da Venezuela.

“A Rússia nos informou que eles retiraram a maior parte de seu pessoal da Venezuela”, escreveu Trump, que encontra-se em viagem ao Reino Unido, no Twitter.

Após falar por telefone na sexta-feira passada com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, Trump disse que o líder russo "não está querendo de forma alguma se envolver nas questões venezuelanas".

A maioria dos países ocidentais também apoia Guaidó, que em janeiro invocou a Constituição para se declarar presidente interino, argumentando que a reeleição de Maduro em 2018 foi ilegítima.

(Reportagem de Matt Spetalnick, Tim Ahmann e Mohammad Zargham)